Vasco vira sobre o Náutico e volta ao G-4 da Série B

Equipe carioca saiu em desvantagem no placar, mas conseguiu a virada com de Dakson e Kleber

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Kleber fez apenas um trabalho físico leve nesta sexta-feira
MARCELO SADIO/ VASCO.COM.BR
Kleber fez apenas um trabalho físico leve nesta sexta-feira

Foi difícil, mas o Vasco foi insistente e, de virada, derrotou o Náutico por 2 a 1 neste sábado, em São Januário. Com o resultado o time voltou à quarta colocação na Série B, com 43 pontos, apenas três a menos do que o líder Joinville.

O Vasco deste sábado foi um time ofensivo, não tanto pela disposição de seus atacantes - Kleber manteve seu estilo de se movimentar por uma parte restrita do campo, e Thalles só conseguiu arremates de pouco perigo -, mas sim pela liberdade de seus jogadores de meio campo. Nos primeiros 45 minutos, foram deles as principais chances.

Até mesmo o volante Guiñazu, conhecido por ser ávido pelo combate e receoso nas conclusões, decidiu atacar. O jogador apareceu na frente para tabelar com Kleber e Douglas, e no fim do primeiro tempo quase marcou um golaço, ao partir para a área com a bola dominada e driblar dois marcadores, mas concluir para fora.

Do outro lado, o Náutico praticamente só se defendia. O time teve pouco domínio de bola e ia ao ataque apenas em contragolpes. Num deles, aos 43, Vinícius chegou a mandar a bola para o fundo do gol de Martin Silva, mas o lance foi invalidado por impedimento.

Na etapa final, contudo, o jogo mudou. O Náutico voltou mais ofensivo e teve as duas primeiras chances de gol, quando brilhou o goleiro Martin Silva. Logo a 1 minuto, ele salvou duas conclusões à queima roupa de Crislan. Aos 12, defendeu em dois tempos após chegada forte de Sassá.

Mas o mesmo Martin Silva que salvou acabou ajudando o Náutico a abrir o marcador. Aos 21, o goleiro saiu estabanado e acabou derrubando Crislan na área. Pênalti, que Sassá bateu no canto direito para abrir o marcador.

O Vasco, então, se jogou ao ataque. Edmilson entrou na vaga de Maxi Rodriguez e Dakson na de Fabrício. Com três atacantes, Thalles foi aberto mais pela direita e Edmilson pela esquerda. Deu certo. Aos 31, Thalles cruzou à meia altura e Dakson se antecipou à marcação para empatar. Onze minutos mais tarde, o mesmo Thalles foi ao fundo e rolou na pequena área para Kleber virar o marcador e garantir a vitória do Vasco.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 2 X 1 NÁUTICO

VASCO - Martín Silva; Diego Renan, Rodrigo, Douglas Silva e Lorran (Marlon); Guiñazu, Fabrício (Dakson), Douglas e Maxi Rodriguez (Edmilson); Kleber e Thalles . Técnico: Joel Santana.

NÁUTICO - Júlio César; Rafael Cruz, Mario Risso, Renato Chaves e Raí; João Ananias, Elicarlos (Marcone), Paulinho (Bruno Furlan) e Vinícius; Sassá e Crislan (Cañete). Técnico: Dado Cavalcanti.

GOLS - Sassá, de pênalti, aos 21, Dakson, aos 31, e Kleber, aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Fabrício Neves Corrêa (RS).

CARTÕES AMARELOS - Fabrício, Paulinho, Rafael Cruz e Mario Risso (Náutico); Martín Silva, Dakson e Edmilson (Vasco).

RENDA - R$ 174.720,00.

PÚBLICO - 10.291 pagantes (11.998 presentes).

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio.

Leia tudo sobre: vascoserie bfutebolnauticokleber