Aécio visita Vale do Aço e diz que dados do governo estão sob suspeita

Quanto a disputa pelo Palácio do Planalto, Aécio se mostrou confiante e garantiu que estará no segundo turno; PSDB vai entrar com ações contra a presidente. anunciou tucano

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Ao lado de Anastasia e Pimenta da Veiga, Aécio desfilou em carro aberto durante agenda
Nereu Jr./Divulgação
Ao lado de Anastasia e Pimenta da Veiga, Aécio desfilou em carro aberto durante agenda

O presidenciável Aécio Neves (PSDB) fez carreata, na manhã deste sábado (20), em Ipatinga, Coronel Fabriciano e Timóteo, na região do Vale do Aço, e não deixou de comentar sobre o erro da Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o tucano, esse fato coloca em suspeição todos os outros dados divulgados pelo Governo Federal.

"Essa é mais uma marca perversa do petismo no Brasil. A desmoralização das nossas instituições, IBGE, Ipea e a própria Embrapa, para não dizer, da administração direta, todas elas aparelhadas. O IBGE foi uma das instituições que ainda resistiu a partir dos seus pesquisadores, dos seus profissionais a essa ânsia de poder do PT. Não se sabe mais em quem acreditar, inclusive os dados positivos, que poderiam estar sendo comemorados por todos os brasileiros, ficam sob suspeita. Ninguém acredita mais em dados deste governo. O IBGE é um patrimônio de todos os brasileiros, é nosso termômetro, que mostra para onde estamos indo e onde deveríamos ir. E até isso agora está em cheque", atacou.

Quanto a disputa pelo Palácio do Planalto, Aécio se mostrou confiante e garantiu que estará no segundo turno. Segundo ele, na última semana antes do dia 5 de outubro, as pesquisas irão apontar que ele estará na disputa.

Ainda, o candidato do PSDB afirmou que seu partido vai entrar com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e na Procuradoria-Geral do Distrito Federal por crime de abuso de poder e improbidade administrativa com a presidente Dilma Rousseff, a partir da informação de que os Correios, em São Paulo, teriam aberto uma exceção para o PT e liberado a distribuição de 4,8 milhões de panfletos da campanha de reeleição, sem que o material fosse identificado como parte de uma postagem oficial. 

Agenda

Acompanhado dos candidatos ao senado, Antonio Anastasia, e ao governo de Minas Gerais, Pimenta da Veiga, Aécio percorreu as três cidades mineiras em carro aberto. Ele pediu apoio aos mineiros, para que ele esteja no segundo turno.

O tucano se recusou a comentar a pesquisa DataTempo, publicada neste sábado, que mostra queda de mais de 5 pontos percentuais, passando de 26,5 para 21,1, em Minas.

Leia tudo sobre: carreataIBGECorreiossegundo turnoAécio Neves