Errar é humano, trabalhar no IBGE se tornou desumano, diz sindicato

Entidade afirma ainda que corte feito por governo de cerca de R$ 500 milhões do Orçamento das pesquisas para 2015, equivalente a cerca de 70% dos recursos inicialmente previstos afeta diretamente levantamentos como a Contagem Populacional e o Censo Agropecuário

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Assibge, sindicato nacional de funcionários do IBGE, divulgou nota na noite desta sexta (19) afirmando que a correção dos dados da Pnad "expressa a gravidade da situação a que chegou o IBGE".

Sob o título "Errar é humano, trabalhar no IBGE está se tornando desumano", o sindicato diz que há uma crise de gestão no instituto.

A entidade afirma ainda que corte feito pelo governo de cerca de R$ 500 milhões do Orçamento das pesquisas para 2015, equivalente a cerca de 70% dos recursos inicialmente previstos afeta diretamente levantamentos como a Contagem Populacional e o Censo Agropecuário.

"Na verdade, a fórmula de poucos recursos humanos e materiais, muito trabalho e intensa pressão por cumprimento de prazos vem sendo utilizada cada vez mais intensamente no IBGE. Seu resultado, em algum momento, acaba sendo a disseminação à sociedade de informações inexatas."

Segundo a nota, desde o encerramento, no final de agosto, da greve de 79 dias, "aumentou ainda mais a pressão para colocar os trabalhos em dia".

No entanto, diz o sindicato,"os recursos e a mão de obra necessários para cumprir o plano de trabalho do Instituto escasseiam a cada dia mais, o que coloca em risco o próprio resultado do trabalho desenvolvido em diversas frentes pelo IBGE".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave