Marina diz que Dilma e Aécio combatem cidadão que quer mudança

Programa da ex senadora defende modernização da Consolidação das Leis Trabalhistas, mas sem dar detalhes

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em mais um exemplo do acirramento das trocas de críticas entre os principais candidatos à Presidência, Marina Silva (PSB) afirmou na noite desta quinta-feira (18) que seus dois principais adversários promovem um "marketing agressivo" e não atacam ela necessariamente, mas sim o eleitor que deseja mudança no rumo do país.

"Eles não estão nos combatendo, eles estão combatendo o cidadão que quer mudança", afirmou em entrevista coletiva antes de um comício em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital de Goiás. No palanque, momentos depois, reforçou: "Se vocês quiserem dar a vitória ao marqueteiro, então a candidata é a Dilma. Se quiser dar a vitória à ousadia e à coragem do povo brasileiro, então a candidata sou eu".

As pesquisas eleitorais indicam que a grande maioria do eleitorado deseja mudança no modo como o país é governado.Na entrevista e no discurso a cerca de 500 pessoas que participaram do ato, Marina direcionou várias críticas a Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), afirmando que os dois se uniram na mesma artilharia de "marketing selvagem". Evangélica, ela recorreu a uma metáfora religiosa ao dizer que a petista e o tucano representam Golias desesperados. "Há vários Golias contra um Davi. Mas há no país vários davis que vão proporcionar a mudança."

Ela também voltou a acusar os adversários de divulgar mentiras, de patrocinar "mensaletes", pessoas pagas na internet para difamá-la, e, ao rebater declaração de Dilma, afirmou também não saber o que a petista pensa. A presidente havia dito que a adversária muda de posição ao sabor das circunstâncias, o que impede o país de saber suas reais intenções.

Entre outros exemplos, Marina diz ser calúnia a afirmação de que irá alterar a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) para tirar direito dos trabalhadores. Seu programa defende modernização da CLT, mas sem dar detalhes.

Marina também comentou os resultados da Pnad (Pesquisa Nacional Amostra de Domicílios) 2013, que indica estagnação da desigualdade no Brasil. "Isso é resultado de políticas erráticas do governo, como a volta da alta dos juros, o baixo crescimento e a elevação da inflação. [...] Como dizemos, Dilma irá entregar um Brasil pior do que recebeu."

Seguindo estratégia de sua campanha, ela ressaltou em seu discurso no comício que Dilma e Aécio, se ganharem, terão que agradecer a políticos como José Sarney (PMDB-AP), Fernando Collor (PTB-AL), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Paulo Maluf (PP-SP). E encerrou conclamando o país a eleger a "primeira mulher negra para presidente do Brasil".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave