Kaká minimiza ausência em Curitiba e vê rival eficiente

Meia ponderou que ainda terá 16 jogos para tirar a diferença do Cruzeiro, que voltou a ser de sete pontos

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Assim como Luiz Fabiano, meia não vai a Salvador
Reprodução/ São Paulo FC
Assim como Luiz Fabiano, meia não vai a Salvador

Não houve quem não apontasse a ausência de Kaká como fator preponderante para que o São Paulo não repetisse o nível das últimas atuações e acabasse derrotado pelo Coritiba, resultado que interrompeu a série de nove jogos de invencibilidade e fez a diferença para o líder Cruzeiro voltar para sete pontos. Mas o próprio jogador acredita que os méritos maiores são dos paranaenses.

Ao falar sobre a discrepância do comportamento da equipe com e sem sua presença, Kaká não quis projetar o desempenho da equipe na temporada e preferiu tratar apenas do período em que voltou ao Morumbi. "É trabalhar muito com hipótese e não é um discurso que se sustenta. Prefiro falar desde a época que cheguei e desse jogo contra o Coritiba. A proposta de jogo deles foi mais eficiente que a nossa e por isso ficaram com a vitória", afirmou o meia.

Apesar de deixar o Cruzeiro escapar mais uma vez na ponta, Kaká mantém o discurso sereno e não entrega os pontos. O São Paulo tem 16 jogos para tirar a diferença e já não conta mais com o confronto direto, vencido no último domingo por 2 a 0, mas o meia pede que o time mantenha a postura e esqueça o que se passa com os mineiros.

"Temos muitos jogos, muita coisa vai acontecer e o que procuro transmitir que temos que acreditar e nos motivar até que a matemática permita. Temos que fazer nossa parte; não temos mais o jogo contra o Cruzeiro, mas precisamos continuar somando pontos", afirmou Kaká.

O time tricolor desembarcou na manhã desta quinta após a derrota para o Coritiba e não fez trabalhos no CT da Barra Funda. O elenco se reapresenta nesta sexta pela manhã e inicia a preparação para o clássico contra o Corinthians, neste domingo, no estádio Itaquerão.

Kaká estará de volta, mas o quarteto ofensivo mais uma vez estará incompleto já que Alexandre Pato não pode jogar por questões contratuais. Luis Fabiano e Michel Bastos brigam pela posição.

Leia tudo sobre: kakameiasao pauloliderfutebol