Maradona admite que drogas atrapalharam sua carreira

Craque argentino que hoje tem 53 anos, afirma ter conseguido se livrar do vício, mas admite que se não tivesse consumido drogas, teria sido um jogador muito melhor

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Treinador argentino foi internado após crise renal
DIVULGAÇÃO/AFA
Treinador argentino foi internado após crise renal

O astro Diego Armando Maradona afirmou que não fosse pelo seu vício em drogas teria sido um jogador de futebol ainda mais notável do que foi. O argentino, que há muito tempo declara que conseguiu se livrar desse vício, admitiu que sua vida "não foi normal" e que se hoje tem 53 anos "é como se tivesse 78".

"Graças a Deus, pude dar às pessoas sorrisos e alegria", declarou Maradona em um programa do canal de TV argentino TyC Sports, apresentado pelo ex-jogador de basquete Fabrício Oberto, em alusão aos êxitos que teve pela seleção da Argentina, o principal deles quando, com atuações geniais e decisivas, conquistou o título da Copa do Mundo de 1986, realizada no México.

"E eu lhes dei vantagem, com minha doença lhes dei vantagem", acrescentou Maradona. "Você sabe qual jogador teria sido se não tivesse consumido drogas? Sabe que jogador teria sido? Um jogador do c....".

Maradona, que foi técnico da Argentina na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, também fez comentários sobre o Mundial deste ano no Brasil, em que a seleção do seu país perdeu a final, definida na prorrogação, por 1 a 0 para a Alemanha, com o gol marcado por Mario Götze.

O craque não escondeu a sua decepção com a chance de gol perdida pelo atacante argentino Gonzalo Higuaín quando a partida estava empatada em 0 a 0. "Nós tivemos a (chance) do Pipa (apelido de Higuaín), que era gol. De dez dessas, nove entram. Nesse dia, o Pipa colocou as chuteiras ao contrário", disse Maradona.

Leia tudo sobre: diego maradonaseleçao argentina