Indicadores já mostram recuperação econômica, diz BC

O diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero Meirelles, afirmou nesta quinta-feira, 18, durante entrevista coletiva que há indicadores na margem mostrando recuperação econômica

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero Meirelles, afirmou nesta quinta-feira, 18, durante entrevista coletiva que há indicadores na margem mostrando recuperação econômica. Ele, contudo, não citou quais. Anthero transferiu a pergunta para o sistema financeiro, tema sobre o qual era a entrevista. "Já foi comprovado em outros momentos de severas restrições econômicas que o sistema financeiro é um ponto forte da economia, segmento que traz segurança e estabilidade para economia brasileira", disse.

Anthero afirmou que as medidas macroprudenciais adotadas entre julho e agosto começam a se fazer sentir, mas lembrou que elas operam com defasagem e ainda não chegaram plenamente à economia. Ele afirmou que, na margem, algumas linhas de crédito já apresentam reação, com redução de taxas.

"Com essas medidas, não vamos ter nenhum boom de crédito, esse nem é o objetivo", disse Anthero. Ele afirmou ainda que medidas restritivas foram adotadas em 2010, quando se tinha um ambiente econômico de consumo elevado e uma série de elementos levaram a implementar medidas restritivas. "Tínhamos um ambiente que justificativa essas medidas. Elas cumpriram seu papel, moderaram o crescimento do crédito e agora foram retiradas. Não adianta crescer a taxas monumentais. Senão forma-se bolha", argumentou.

Rentabilidade para sistema financeiro

Anthero negou que a rentabilidade para o sistema financeiro no segundo semestre será pior. Ele disse, porém, que o setor precisa se ater às fontes de rendimento. "Não esperamos boom de crédito, então os bancos devem aumentar eficiência se querem mais margem", considerou. "Como os bancos podem aumentar sua rentabilidade sobre receita?", questionou, e ele mesmo respondeu: "Ou com mais margens ou redução de seus custos". Para Anthero, "as margens têm limitações, não há muito espaço para ampliação, seja porque o crédito cresce menos, ou tem margens mais limitadas ou concorrência grande ou ainda a cobrança é limitada", enumerou. "Há limitações para o crescimento da margem consequentemente, a forma de ganhar mais é por meio de eficiência", continuou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave