Velhos aliados tornam-se adversários

Polarização ajuda a acirrar a disputa

iG Minas Gerais |

Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ) disputa contra ex-governador do Rio
LUCAS FIGUEIREDO/ PEZÃO 15
Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ) disputa contra ex-governador do Rio

São Paulo. Antigos aliados disputam agora as eleições nos Estados em lados opostos. Essa situação ocorre em pelo menos quatro dos nove Estados onde ex-governadores lideram nas pesquisas.

Esse é o panorama das disputas na Paraíba, no Espírito Santo, no Amazonas e no Piauí, que estão sendo polarizadas pelos políticos que estavam no mesmo palanque há quatro anos.

Na Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) ajudou a eleger Ricardo Coutinho (PSB) em 2010. Mas o PSDB deixou o governo em fevereiro deste ano para alçar voo próprio.

A situação é semelhante no Espírito Santo, onde a eleição se polarizou entre o ex-governador Paulo Hartung (PMDB) e o governador Renato Casagrande (PSB), eleito com o apoio do peemedebista.

Já os governadores eleitos em 2010, Wilson Martins (PSB-PI) e Omar Aziz (PSD-AM) disputam o Senado, mas seus vices José Filho (PMDB) e José Melo (PROS), que assumiram os governos em abril deste ano, disputam a reeleição contra os ex-governadores Wellington Dias (PT) e Eduardo Braga (PMDB). Quatro anos atrás, todos estavam no mesmo palanque.

Além de José Filho e José Melo, outros três governadores tentam a reeleição contra ex-governadores: Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Chico Rodrigues (PSB-RR) e Sandoval Cardoso (SD-TO).

O desconhecimento do eleitorado sobre os que nunca foram testados nas urnas em uma disputa majoritária estadual talvez esteja sendo um dos obstáculos.

No Tocantins, por exemplo, o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) é favorito para vencer o atual governador Sandoval Cardoso. Segundo Cardoso, apesar de ocupar o posto máximo do Estado, está “difícil divulgar ações neste ano por causa dos vetos da Justiça Eleitoral”, reclamou o governador do Tocantins.

Transmissão via satélite

Em 16 localidades remotas de Minas Gerais, a transmissão dos dados das eleições será feita via satélite para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Apesar de pertencerem a comarcas de municípios de até médio porte, como Teófilo Otoni, seções de distritos e comunidades rurais do Jequitinhonha, Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri, Norte, Noroeste, Zona da Mata, Sul e região Central do Estado usarão a tecnologia para agilizar o processo de apuração. Um desses locais é Santo Antônio do Rio Abaixo, com 1.727 eleitores, a 51 km distante da sede, Conceição do Mato Dentro, a 190 km de BH.

Indeferida candidatura

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou o indeferimento da candidatura de João Carlos Rodrigues (PMN) ao governo do Rio Grande do Sul devido à ausência de quitação eleitoral, condição indispensável para a elegibilidade. No início de agosto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS) já havia anunciado que Rodrigues não estava apto a concorrer por não ter apresentado as contas de campanha de 2010, ano em que disputou o cargo de vice-governador pelo PTC, na chapa encabeçada por Aroldo Medina, do PRP.

Rio: propaganda irregular em igreja

A equipe de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral em Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio de Janeiro, cumpriu nesta quarta cinco mandados de apreensão em igrejas evangélicas que estavam fazendo propaganda de candidatos. Os mandados foram expedidos pela juíza da 78ª Zona Eleitoral, Vera Maria Andrade Lage. Nas igrejas foram encontrados santinhos, que eram distribuídos aos fiéis e placas de candidatos. A operação teve o apoio de Policiais Militares do 15º Batalhão, do Grupo de Apoio Policial do Ministério Público e da Polícia Rodoviária Federal.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave