MPF recomenda que UFVJM tome medidas para suspender danos ambientais

A falta de drenagem pluvial adequada na região vizinha do campus Diamantina tem causado assoreamento nos córregos que deságuam na cachoeira dos Cristais; universidade informou que já está tomando providências

iG Minas Gerais | Da redação |

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou que a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) adote medidas para corrigir processos erosivos do solo que estão provocando danos ambientais ao Parque Estadual do Biribiri, vizinho ao campus da universidade em Diamantina, na região Central do Estado.

Segundo o MPF, órgãos de proteção ambiental detectaram que esta situação decorre da falta de drenagem pluvial adequada na região, que tem causado assoreamento do córrego do Chacrinha, o que prejudica o Cachoeira dos Cristais, que é ponto turístico do parque.

Em 2012, fiscais do Instituto Estadual de Florestas (IEF) lavraram auto de infração contra a UFVJM e recomendaram intervenções para resolver a situação, no entanto, em 2013, foi constatado que as medidas tomadas não tiveram resultados efetivos.

Em julho deste ano, um laudo feito pelo Núcleo Regional de Fiscalização  Ambiental do Jequitinhonha (NUFIS-JEQ) apontou que a pavimentação e a construção de edificações no campus levaram ao aumento progressivo da área impermeabilizada, causando o aumento significativo do volume de água das chuvas, e a consequente ineficiência das estruturas de captação e condução, que foram projetadas para absorver carga hidráulica menor.

Para o MPF, o quadro, que já é preocupante, tende a se agravar com a chegada da temporada de chuva e, por isso, o órgão recomendou à Universidade Federal dos Vales do Mucuri e Jequitinhonha que sejam iniciadas obras que garantam a diminuição da velocidade das águas coletadas no interior do campus e que deságuam no Parque do Biribiri, no prazo de 30 dias.

As intervenções, feitas em caráter de urgência e até que as obras definitivas de implantação e ampliação da rede de água pluvial sejam realizadas, devem garantir também a redução do carreamento de sólidos para o interior do parque.

O MPF deu prazo de 10 dias para que a UFVJM informe as providências adotadas para dar cumprimento à recomendação. 

A universidade foi procurada pela reportagem de O TEMPO e informou que medidas para atender à recomendação já estão sendo tomadas. No entanto, até as 21h não havia emitido posicionamento oficial sobre o caso.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave