Comissão regional da CNBB divulga texto com críticas a Dilma e Marina

O documento, com data de 23 de agosto, afirma que a presidente e o PT têm posições históricas a favor do aborto e atacam a proposta da ex-senadora de submeter o tema a um plebiscito

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Comissão em Defesa da Vida da Regional Sul 1 da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), que abarca São Paulo, divulgou texto em que diz que critica Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) porque, na avaliação dos religiosos, as duas candidaturas não são contra o aborto.

O documento, com data de 23 de agosto, afirma que Dilma e o PT têm posições históricas a favor do aborto e atacam a proposta de Marina Silva de submeter o tema a um plebiscito. "Quando da visita do papa Bento 16 ao Brasil, o então secretário-geral da CNBB declarou que 'colocar em plebiscito o direito de matar é um absurdo. Ninguém gostaria que seu direito de viver dependesse do resultado de um plebiscito'", diz o texto.

Os religiosos pedem "discernimento" dos eleitores e citam frase de Edmilson Amador Caetano, bispo de Guarulhos, que afirma que voto em partidos e candidatos a favor do aborto seria "imoral para o cristão". Caetano é substituto do bispo Luiz Gonzaga Bergonzini, morto em 2012, que causou polêmica ao pedir o boicote contra Dilma durante a campanha de 2010.

O documento é assinado pelos integrantes da Comissão de Defesa da Vida. O texto, que não circulou nos sites oficiais da CNBB, informa que seu conteúdo foi autorizado por dois bispos, dom José Benedito Simão, presidente da comissão, e dom Emílio Pignoli.

A Regional Sul da CNBB é uma das maiores do Brasil, com 41 dioceses e arquidioceses, incluindo a de São Paulo. Quem a preside é o cardeal dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo. Questionada, a assessoria do cardeal informou que a comissão é autônoma e que ele não tem vinculação com o documento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave