Incomodado com Hulk, Dunga avisa: "se alguém levanta, outro senta"

Atacante do Zenit acabou cortado da primeira lista, no entanto, um dia após o primeiro amistoso do escrete canarinho nos EUA, ele esteve em campo

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Hulk é a força do atacante do Brasil
Alexandre Loureiro/Vipcomm
Hulk é a força do atacante do Brasil

Um dos questionamentos relacionados à segunda convacação de Dunga em seu retorno ao comando técnico da seleção brasileira foi a ausência de Hulk. O atacante do Zenit acabou cortado da primeira lista devido a uma lesão na coxa, no entanto, um dia após o primeiro amistoso do escrete canarinho nos Estados Unidos, ele esteve em campo com a camisa do clube russo.

Nessa terça-feira, por exemplo, ele deixou sua marca na vitória por 2 a 0 sobre o Benfica, pela primeira fase da Liga dos Campeões, e dá claras mostras de que está completamente recuperado. Contrariado com a decisão do jogador, Dunga voltou a convocar o já experiente Robinho, atleta que sem Maicon transforma-se talvez no maior líder da seleção. E é bom Hulk ficar atento. O treinador da seleção brasileira lhe mandou um aviso.

"Não me senti nem decepcionado nem frustrado. Tenho que acreditar no médico que mandou um documento que falou algo, mas obviamente com a medicina moderna, a evolução é rápida. Mas aqui tem algumas cadeiras vazias, e se alguém levanta e outro senta, tem que esperar alguém levantar. No momento de algumas situações adversas, é que surge a oportunidade", afirmou Dunga, que apesar do recado também optou por um discurso ameno.

"Não mudou nada. O Hulk nós chamamos, ele teve uma recuperação muita boa. Nós jogamos no dia 5, ele no dia 6, ou vice-versa. Pensamos melhor e deixamos o jogador se recuperar bem no clube. Quem sabe lá na frente ele terá uma nova oportunidade", concluiu o treinador.  

Leia tudo sobre: futebol nacionalseleção brasileirahulkpolêmica