Dunga diminui conflito com times brasileiros: 'prioridade é a seleção'

Sete convocados que atuam no futebol nacional ficarão fora de duas rodadas do Brasileiro, e também do duelo de volta das quartas de final da Copa do Brasil

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Para Dunga, seleção brasileira precisa de uma base e jogadores brasileiros estão incluídos em seu planejamento
Rafael Ribeiro/CBF
Para Dunga, seleção brasileira precisa de uma base e jogadores brasileiros estão incluídos em seu planejamento

Na manhã desta quarta-feira, o técnico Dunga contrariou o pedido dos clubes e voltou a chamar jogadores que atuam no futebol nacional para os amistosos da seleção brasileira. Os mesmos sete da 'primeira leva' foram novamente convocados pelo comandante, desta vez para o Superclássico das Américas, no dia 11 de outubro, em Pequim, na China, e o amistoso com o Japão, no dia 14 de outubro, em Cingapura. 

Desta maneira, Jefferson, Gil, Elias, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Robinho e Tardelli ficarão fora de duas rodadas do Campeonato Brasileiro, e também na partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Dunga reconheceu a dificuldade na liberação dos jogadores, mas deixou claro que a sua prioridade é a seleção brasileira.

"Todas as convocações teremos problemas com os clubes. A gente fica sempre numa situação intermediária. Se chama, tem uma pressão. Se não chama, tem a pressão da mesma forma. Entendemos a situação dos clubes brasileiros, mas também temos que pensar na montagem da seleção", completou.

Oficialmente, nenhum dos clubes brasileiros solicitou à CBF o pedido de dispensa de seus jogadores. No entanto, Dunga também mandou um recado para os 'insatisfeitos'. "Na CBF, a gente tem uma grande liberdade, e quem não quiser que os jogadores sejam convocados, mande uma carta para a CBF, pedindo que os jogadores não sejam mais chamados. Vamos atender, mas não acredito que nenhum clube vai fazer isso. Alguns clubes me colocaram que a situação era difícil, mas entendem o sonho dos jogadores", concluiu o treinador.