Petista defende ataques na TV

O ex-diretor da Petrobras apontou um esquema de corrupção na estatal com suposta participação de integrantes do governo e de sua base

iG Minas Gerais |

Berzoini não deve mais sair do ministério para fazer campanha
RENATO ARAUJOABr
Berzoini não deve mais sair do ministério para fazer campanha

BRASÍLIA. Depois que a Procuradoria Geral Eleitoral pediu a suspensão de propaganda com ataques à candidata do PSB, Marina Silva, a presidente Dilma Rousseff, que disputa a reeleição, afirmou nesta terça que crime de opinião é algo ultrapassado no Brasil.  

“Pode ser que as pessoas não gostem do que falamos, agora é uma opinião, e crime de opinião no Brasil é algo ultrapassado. Eu fui para a cadeia por crime de opinião, tá? E sei perfeitamente que na democracia a opinião é algo que tem que ser acolhido”, disse a presidente, em entrevista coletiva no Palácio da Alvorada.

A ação judicial é de autoria da campanha de Marina Silva e tem como alvo propaganda petista que atacou a proposta da adversária de autonomia do Banco Central.

Adiamento. Aguardado no comitê eleitoral para reforçar a campanha à reeleição de Dilma, o ministro Ricardo Berzoini (Relações Institucionais) não pôde deixar o governo diante da preocupação com o depoimento de Paulo Roberto Costa.

O ex-diretor da Petrobras apontou um esquema de corrupção na estatal com suposta participação de integrantes do governo e de sua base. Responsável pela articulação política do Planalto com o Congresso, Berzoini tem entre suas funções coordenar a estratégia da base na CPI da Petrobras.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave