Sinatra na voz de Bibi Ferreira

Artista estreia espetáculo interpretando canções do repertório do cantor norte-americano, conhecido como The Voice

iG Minas Gerais |

A voz. A cantora e atriz Bibi Ferreira já homenageou Edith Piaf e Amália Rodrigues
arquivo/otempo
A voz. A cantora e atriz Bibi Ferreira já homenageou Edith Piaf e Amália Rodrigues

São Paulo. Bibi Ferreira é uma artista acostumada a ousadias. Depois de encantar os franceses com o repertório de Edith Piaf e os portugueses com o fado de Amália Rodrigues, a cantora prepara-se para um novo feito: apresentar um espetáculo apenas com músicas interpretadas por Frank Sinatra. “Acho que serei a primeira mulher no mundo a fazer isso”, acredita Bibi, esbanjando confiança nos seus 92 anos.

O resultado poderá ser conferido a partir desta sexta-feira no Teatro Renaissance, em São Paulo, com a estreia do espetáculo “Bibi Ferreira Canta Repertório de Sinatra”. O roteiro traz 23 canções, algumas unidas em pot-pourri, outras apenas apresentadas por meio da melodia. “O principal entrave é que o repertório dele é extremamente masculino”, comenta Bibi. “Isso me impediu de escolher algumas músicas que me agradam muito, mas que são impossíveis de cantar”.

Acompanhada de uma orquestra de 18 músicos, ela teve a ideia de montar o show após uma brincadeira de bastidor em torno de um certo temor que o cantor tinha, que Bibi chama de “efeito Sinatra”: o medo de abrir a boca para cantar e a voz não sair.

O receio também rondou sua preparação. “Interpretar Sinatra empolga qualquer um, mas, durante os ensaios, quando ouvia CDs com suas canções, eu me sentia humilhada”, conta. “Decidi não fazer nenhum tipo de comparação, pois, quando fazia isso, não cantava com alegria, com vontade”.

internacionalização. A primeira ousadia de Bibi Ferreira – participar de um show apenas com músicas eternizadas por Frank Sinatra – será seguida de outra: levar o espetáculo para os Estados Unidos. “Estamos planejando apresentações em Las Vegas e Nova York, no fim do ano que vem”, comenta Bibi, que cantou duas vezes em solo norte-americano no ano passado, quando foi aplaudida em pé por três vezes.

Tais concertos fazem parte de uma estratégia de internacionalização da figura de Bibi, que ganha corpo ainda neste ano: até o Natal, a rede de livrarias Barnes & Nobles deverá oferecer dois CDs (“Bibi, Histórias e Canções” e “Brasileiro, Profissão Esperança”) e uma biografia da cantora brasileira escrita em inglês. “Ela será apresentada como ‘the new Brazilian Bombshell’”, conta Nilson Raman, seu empresário há mais de 20 anos, repetindo a forma como Carmen Miranda ficou conhecida em Hollywood.

O passo decisivo, no entanto, será o show com canções de Sinatra – em outubro, duas apresentações no Teatro Renaissance serão gravadas em vídeo para um DVD que será lançado no Brasil até o fim do ano, juntamente com um box de CDs com sete discos. Os produtos também deverão chegar aos Estados Unidos.

Com 73 anos de carreira, Bibi encara o projeto como mais um desafio. “Nos anos 60, quando produtores buscavam a protagonista para o musical ‘Minha Adorável Dama’, eu aceitei e ficamos dois anos em cartaz”, relembra, com orgulho.

“Interpretei ainda Aldonza, de ‘O Homem de La Mancha’, mas não é um papel que me encanta, pois suas canções são muito românticas, apaixonadas demais, e eu gosto de algo mais ritmado”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave