Cantora japonesa faz sucesso cantando musicas brasileiras

Tsubasa Imamura escancara sua paixão pelo Brasil e já está com show marcado em Belo Horizonte, após lançar música-manifesto pela paz nos estádios

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Recentemente, ela lançou uma música em português de autoria própria, contra a violência dos estádios
DIVULGAÇÃO/ TSUBASA IMAMURA
Recentemente, ela lançou uma música em português de autoria própria, contra a violência dos estádios

Já imaginou como seria um legítimo rock nacional cantado por uma japonesinha de voz suave, quase infantil, trocando os R´s pelos L´s, enquanto toca violão e encara o espectador com seus olhinhos puxados sem nenhum ímpeto de disfarçar a pronúncia oriental? Então não precisa imaginar, porque ela existe e atende pelo nome de Tsubasa Imamura, compõe e canta desde os 12 anos, quando ganhou o primeiro violão do seu pai, em Kanazawa, no Japão. Desde 2009, a artista visita o Brasil, país que adotou musicalmente e onde já esteve oito vezes. Só em Belo Horizonte, ela já se apresentou três vezes e está com o quarto show marcado para o próximo dia 21 de setembro, em caráter beneficente, no bairro Floresta. 

Quando se fala em música brasileira, que rompe fronteiras e agrada a ´gringos´ e troianos, as principais referências são a MPB ou a Bossa Nova. Mas no caso de Tsubasa, as escolhas são outras. Ela canta basicamente o que uma jovem de 29 anos gosta de ouvir, assim como outros jovens brasileiros, sem se apegar muito a status ou a classicismos. É por isso que em suas interpretações, é possível ouvir a Pitty, Los Hermanos, Paralamas do Sucesso, Renato Russo, Djavan e Titãs, com a mesma roupagem emprestada por Tsubasa. A voz suave, o sotaque japonês e o jeitinho infantil fazem parecer qualquer música - do rock brasileiro ao reggae nacional - uma viagem de roda gigante toda decorada em candy colors e bolhas de sabão.

Declaradamente apaixonada pelo Brasil, a cantora lançou recentemente a música “Tamo junto”, um manifesto pela paz nos estádios, assunto frequentemente em voga no país, principalmente em tempos de jogadores sendo ofendidos com insultos racistas e brigas entre torcidas.

Confira a entrevista feita pela reportagem com a cantora Tsubasa Imamura, e conheça um pouco mais da japonesinha que tem o maior orgulho de levar a música brasileira para o Japão, e trazer o jeitinho de lá, para o Brasil:

O TEMPO: Como surgiu o interesse pela música brasileira?

Tsubasa Imamura: Meu produtor é brasileiro. Venho ao Brasil desde 2009, e o amor pelo rock nacional e a MPB aconteceu naturalmente. Hoje, faz parte da minha vida.

OT: É você quem escolhe as músicas brasileiras que canta? Há um critério para estas escolhas ou você canta o que gosta de ouvir?

TI: Sim, eu escolho as musicas, e meu critério é baseado no conteúdo. Procuro escolher as musicas que falam de algo que tem a ver com meu fã brasileiro. É pra ele que faço meu trabalho.

OT: O que você acha que as músicas brasileira e japonesa têm em comum?

TI: Nada. A musica brasileira tem melodias simples e muito bonitas, e possui um conteúdo em suas letras muito profundo e inteligente. A musica japonesa é muito comercial.

OT: “Você vem sempre aqui”?

TI: Moro em Kanazawa no Japão, onde nasci e vivo até hoje. Já vim ao Brasil 8 vezes. Minha melhor lembrança daqui é sempre o meu fã. O carinho que recebo e como ele é, é especial pra mim.

OT: Há alguma música brasileira que está entre suas preferidas?

TI: Gosto de todas que toco, mas gosto muito do Renato Russo pelo conteúdo das letras. Muito bom. Também sou fã da Marisa Monte.

OT: Você estuda o português? Qual a sua maior dificuldade em relação a língua, ao cantar?

TI: Estudo português todos os dias, e tenho aula particular cinco vezes por semana no Japão. Aprendo português pra poder me comunicar melhor com meu fã brasileiro. A minha maior dificuldade é a pronuncia das letras R e L, por não existir diferença entre as duas na minha língua.

OT: Dá pra perceber que algumas músicas brasileiras interpretadas por você tem algumas modificações, como na música da Pitty, “Me adora”, onde você canta “que me acha fofa” ao invés de “que me acha foda” como é na versão original. Isso é proposital?

TI: Sim. São versões e não cópias. Eu troquei ‘“foda” por “fofa” porque acho que combina mais comigo, e achei que ficaria legal fazê-lo, sem prejudicar a versão original, que é muito boa.

OT: Quais são as suas referências musicais?

TI: Ouço praticamente tudo, do rock nacional ao rap americano. Não tenho preconceito musical. Minhas maiores influências estão aqui no Brasil e nos singer song writers de New York.

OT: Tem algum recado para os fãs brasileiros?

TI: Sim. Gostaria de agradecer por todo o carinho que recebo aqui no Brasil e dizer que é isso que me faz continuar com meu trabalho aqui. Amo meu fã brasileiro.

Acabamos de lançar meu primeiro CD brasileiro, intitulado “Por você”, pela editora JBC, que vem em formato de revista poster e está a venda em todas as maiores livrarias do Brasil.

Saiba mais:

Para acompanhar os passos da cantora no país, há a página oficial no Facebook facebook.com/cantoratsubasa.

E para quem quer conhecer melhor o trabalho de Tsubasa com intepretações de músicas brasileiras, ou mesmo composições próprias, o canal no Youtube é youtube.com/user/cantoratsubasa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave