BHTrans detecta erro de cobrança em quatro linhas do Move

Descoberta veio após denúncia feita por um leitor do jornal O TEMPO; problema deverá ser solucionado até quarta-feira (17)

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Move amplia rede de atendimento na próxima sexta-feira (11)
Move amplia rede de atendimento na próxima sexta-feira (11)

Após denúncia feita por um leitor de O TEMPO, a BHTrans detectou um  um problema que levou diversos usuários das linhas 406, 3030, 2034 e 2035 do Move a pagarem um valor superior ao que deveria ser cobrado, uma vez que a integração tarifária não estaria sendo feita corretamente. A empresa que administra o trânsito de Belo Horizonte deu um prazo até esta quarta-feira (17) para o problema ser solucionado.

A reclamação foi feita no início da semana por um usuário do move que preferiu manter o anonimato. Segundo ele, que vive na região Noroeste da capital e trabalha na região hospitalar, no Centro, ele vem sendo vítima de um erro de tarifação na volta para casa. "Sempre que pego uma linha diferente da 5550 no fim do dia, como por exemplo a 51, eu sou tarifado em R$ 2,85. Quando desço na estação de transferência para pegar o 5550 eu não sou tarifado, porém, quando chego na estação ponto São José, que é uma verdadeira gambiarra, pego o 406 e sou tarifado em R$ 2,05 indevidamente", reclama.

Segundo ele, esse percurso sempre dura menos de 90 minutos, o que deveria incluir a última viagem na integração tarifária. "A 406 é alimentadora da 5550, sendo que as duas substituem a antiga linha 2402 A. Venho sendo cobrado indevidamente desde o dia 13 de junho, quando começou a funcionar o sistema", denunciou.

Para o denunciante, o pior da situação ainda é que, após desembarcarem do 5550, os antigos usuários da linha 2402 agora precisam esperar de 20 a 50 minutos pela chegada do 406, que tem um intervalo de 30 minutos entre cada veículo. "A nossa região está tão deixada de lado que os moradores não tem um local próximo para adquirir o cartão. O posto Transfácil mais perto daqui é o da rua Tupinambás. Temos que deslocar até o Centro de BH para podermos adquirir o cartão BHBus", lamenta o usuário.

Ainda segundo ele, desde quando percebeu o erro na tarifação ele vem registrando queixa na Transfácil e na BHTrans sobre o erro de tarifação grave que ocorre nas linhas do sistema MOVE, porém "os funcionários não fazem nada para resolver o problema".

Resposta

Procurada por O TEMPO, a BHTrans respondeu por meio de uma nota que a reclamação do usuário a ajudou a detectar um problema que está afetando estas quatro linhas. "Devido ao grande número de alterações implantadas, o deslocamento do usuário de uma dessas quatro linhas, da Estação Pampulha para a frente, ao longo do corredor Antônio Carlos, acarretou esse tipo de ocorrência. Mas a empresa se compromete a corrigir a situação num pazo de 48 horas.  Salientamos que a integração tarifária tem um prazo máximo de 90 minutos. Passado esse período, a tarifa cobrada pelo validador é cheia", dizia o texto.

"Gostaríamos, também, que esse tipo de reclamação viesse acompanhada pelo número do cartão do usuário, pois torna-se mais fácil para a empresa localizar a ocorrência.   A BHTrans monitora a operação do transporte coletivo e sempre que é detectada a necessidade ajustes são feitos, como a adequação do quadro de horários", finaliza a nota. 

Leia tudo sobre: movecobrança indevidaintegração tarifáriaerrolinhasônibus406303020342035