Mesmo reconhecido por ladrões, arcebispo é assaltado no Rio

O carro foi interceptado por três homens armados que exigiram que todos os ocupantes entregassem seus pertences; um dos assaltantes reconheceu Dom Orani, pediu desculpas, mas não mudou de ideia

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Tomaz Silva/ Agência Brasil

Rio de Janeiro- O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta disse que sua nomeação como cardeal é uma honra e agradeceu à torcida dos fieis. A promoção do religioso da Igreja Católica foi anunciada nessa manha, no Vaticano, pelo papa Francisco
Tomaz Silva/ Agência Brasil Rio de Janeiro- O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta disse que sua nomeação como cardeal é uma honra e agradeceu à torcida dos fieis. A promoção do religioso da Igreja Católica foi anunciada nessa manha, no Vaticano, pelo papa Francisco

O cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, foi assaltado na noite dessa segunda-feira (15), quando descia o bairro de Santa Teresa de carro, vindo da residência oficial no Sumaré para um compromisso no bairro da Glória, zona sul da capital fluminense. O cardeal estava acompanhado do fotógrafo oficial da Arquidiocese do Rio, por um seminarista e pelo motorista do veículo.

O carro foi interceptado por três homens armados que exigiram que todos os ocupantes entregassem seus pertences. Um dos assaltantes reconheceu Dom Orani, pediu desculpas, mas não mudou de ideia. Ele estava armado e levou o cordão, o crucifixo, caneta, o telefone e uma réplica do anel de ouro que Dom Orani recebeu do Papa Francisco, quando se tornou cardeal arcebispo, em cerimônia no Vaticano. De acordo com o assessor da Arquidiocese do Rio, Adionel Carlos, "o anel que o cardeal usa no dia a dia é de baixo valor, um anel comum. O anel recebido do Papa só é usado em ocasiões especiais".  O assessor acrescentou que Dom Orani já decidiu que não falará sobre o assalto.

Na ação, os criminosos levaram também o paletó e a mochila do motorista, além da batina do seminarista, que foram abandonados em Santa Teresa e recuperados pela polícia. Apenas a câmera do fotógrafo não foi recuperada até agora.

Em nota, a Polícia Civil informou que o caso foi registrado na 10ª Delegacia de Polícia (Botafogo) como roubo. Logo após o crime, os agentes fizeram diversas diligências e conseguiram recuperar os pertences do arcebispo, como um celular, o anel cardinalício, a cruz peitoral e dois terços de prata. Os pertences estavam dentro de uma mochila. Também foram recuperados uma batina e documentos de outros integrantes da comitiva do arcebispo.

Leia tudo sobre: CrimeDom OraniRio de JaneiroRouboAnelarcebispoAssaltoBrasil