Cantareira cai para 8,9%, próximo ao pré-volume morto

A Sabesp já se prepara para usar a segunda fase do volume morto - a autorização para essa captação já foi dada pela Agência Nacional de Águas (ANA)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Reservatório do Sistema Cantareira, principal fornecedor de água para a cidade de São Paulo, tem terra rachada e já chegou a 13% de sua capacidade
Marcelo Moura / agência estado
Reservatório do Sistema Cantareira, principal fornecedor de água para a cidade de São Paulo, tem terra rachada e já chegou a 13% de sua capacidade

O nível do Sistema Cantareira, que abastece parte da Grande São Paulo, caiu para 8,9% da capacidade nesta terça-feira, 16, e voltou ao patamar anterior ao uso da primeira fase do chamado volume morto.

Quando a reserva estratégica começou a ser utilizada há exatos quatro meses, em 16 de maio deste ano, o nível estava em 8,2%. Isso significa que quase todos os 182,5 bilhões de litros adicionais que se tornaram disponíveis com o aprofundamento do sistema de captação, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), foram consumidos e não houve reposição.

As chuvas no período foram insuficientes para ao menos repor a água consumida. A Sabesp já se prepara para usar a segunda fase do volume morto - a autorização para essa captação já foi dada pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Leia tudo sobre: DesastremeteorológicosecacantareiraSão Paulovolume mortoBrasilágua