Depoimentos reforçam a presença de defeitos

Quatro peritos da Polícia Civil estiveram nesta segunda no local do acidente

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

A delegada Mellina Clemente, que investiga o acidente na barragem de Itabirito, deu nesta segunda continuidade aos interrogatórios de ex-funcionários e da engenheira de segurança da Herculano Mineração. Ela não quis dar detalhes sobre o que foi apurado até agora, mas testemunhas já ouvidas relataram os problemas e o medo demonstrados por trabalhadores do local.  

Segundo Clóvis Fernandes, 29, irmão de Cristiano Fernandes Silva, 32, que morreu no desabamento da barragem, sua família contou à delegada sobre um vazamento citado pela vítima. “Falamos sobre o medo que os funcionários tinham de trabalhar na área. Cristiano já falava do risco”, afirmou.

Fernando Rodrigues Batista, 23, filho de Adilson Batista, também contou em depoimento que o pai queria sair da Herculano por conta do medo de algum acidente. “Ele chegou a pedir para sair da empresa, mas não conseguiu a demissão. Ele queria ser motorista de ônibus, e eu pretendia trabalhar com ele”.

Quatro peritos da Polícia Civil estiveram nesta segunda no local do acidente – um engenheiro civil de Ouro Preto, na região Central, dois engenheiros civis e um especialista em meio ambiente de Belo Horizonte. Um geólogo também vai trabalhar no laudo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave