Falta mão de obra qualificada para vários setores

Marco Antônio Gaspar, vice-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), também cita qualificação como a dica para quem quer arrumar um emprego

iG Minas Gerais | ludmila pizarro |

O fato de não haver crescimento do emprego em Belo Horizonte e região não é avaliado negativamente pelo sub-secretário de Trabalho e Emprego da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), Hélio Rabelo. “A manutenção dos empregos é importante para o sustento das famílias. Estamos melhor do que outros Estados onde o desemprego já chegou” alega.  

Ele argumenta que mesmo sem novas vagas, falta mão de obra qualificada. “Em Minas Gerais, temos 15 mil vagas que não conseguimos preencher porque falta profissional qualificado”.

Ele cita entre os setores que necessitam de profissionais os de vestuário, supermercados e padarias. “Tanto na cidade de Divinópolis como no Barro Preto, na capital, que são polos de moda, falta profissional e eles estão contratando.

Marco Antônio Gaspar, vice-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), também cita qualificação como a dica para quem quer arrumar um emprego. “O Senai forma padeiro e não tem padeiro suficiente para atender o mercado. Eles estão escolhendo onde querem trabalhar”, afirma Gaspar.

“Você acha que um garçom bilíngue, em Belo Horizonte, vai ficar sem emprego? De forma alguma. Não importa o setor, todos estão carentes de profissionais mais preparados”, conclui o vice-presidente. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave