Cemig também pode estar envolvida

O empreendimento não entrou em funcionamento, mas o relatório da PF aponta que, em um ano, o capital social da CTSul aumentou de R$ 1.000 para R$ 10 milhões

iG Minas Gerais |

São Paulo. Empresa de fachada controlada pelo grupo do doleiro Alberto Youssef também teve um contrato de compra e venda de energia com a Cemig para uma usina termelétrica a ser construída em Cachoeira do Sul (RS), diz reportagem de “O Estado de S. Paulo”.

Para a Polícia Federal, os documentos apontam que há indícios de que o grupo do doleiro tinha a intenção de dissimular a origem de recursos ilícitos, investindo em usinas termelétricas pelo Brasil, em especial a Central Termelétrica Sul S/A (CTSul).

O empreendimento não entrou em funcionamento, mas o relatório da PF aponta que, em um ano, o capital social da CTSul aumentou de R$ 1.000 para R$ 10 milhões. Do total, R$ 999 mil foram integralizados pela Focus Participações, empresa que detinha 90% do capital social da CTSul. Antes de fechar o acordo de compra e venda de energia com a Cemig, a Focus transferiu os direitos para uma empresa de fachada, a CSA, que aparece em diferentes esquemas da Operação Lava Jato. Procurada pela reportagem do “Estadão”, a Cemig informou que rescindiu o contrato com a CTSUL em 2010, sem ônus para as partes, e que não houve qualquer pagamento da Cemig à CTSul.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave