Henrique reclama de pessimismo pós-derrota: “A vantagem ainda é nossa”

Volante fez questão de ressaltar que o Cruzeiro depende apenas de suas próprias forças para ser campeão

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

Henrique sai na frente de Leandro Guerreiro e Souza, outros concorrentes pela vaga de Lucas Silva no meio-campo celeste
Washington Alves/VIPCOMM
Henrique sai na frente de Leandro Guerreiro e Souza, outros concorrentes pela vaga de Lucas Silva no meio-campo celeste

O discurso no Cruzeiro pela derrota para o São Paulo foi de lamentação, uma vez que a Raposa não conseguiu ampliar a vantagem na tabela de classificação de sete para dez pontos. E o pior, viu a vantagem cair para quatro tentos. Entretanto, nem mesmo o revés faz com que o volante Henrique se deixe levar pelo pessimismo de alguns, em relação ao resultado desfavorável.

“Quem não gostaria de ter quatro pontos de vantagem? Se falar para outro time, claro que eles gostariam dessa vantagem sobre os adversários. Não podemos colocar os quatro pontos a favor do adversário só por que perdemos para um concorrente direto. Não podemos desesperar, a vantagem é nossa”, afirma o meio-campista.

De volta contra o Atlético-PR, já que ficou fora por suspensão diante do São Paulo, Henrique ressalta que o Cruzeiro depende apenas de suas próprias forças para ser campeão. E, por isso, é preciso deixar o pensamento em relação aos adversários em segundo plano.

“Nós não podemos pensar no São paulo, dependemos de nós mesmos. Fazendo os nosso pontos, jogando para vencer sempre, dentro e fora de casa, como temos feito. A gente não pode se preocupar com os adversários, e, sim, com nós mesmos. Só depende de nós, do nosso futebol para chegarmos no final e conquistarmos nosso objetivo”, disse.

Apesar do discurso, Henrique ressalta que o adversário de momento do Cruzeiro, o Tricolor Paulista, já mostrou força em outras épocas no segundo turno de Campeonatos Brasileiros.

“O São paulo é sempre uma equipe que mostrou força no segundo turno, conseguindo recuperar pontos. Mas, depende somente de nós. Não podemos nos preocupar com quantos pontos o São Paulo fará. Temos que preocupar com nossas vitórias, nossos objetivos, com os pontos que almejamos”, concluiu.