Competição de kitesurf coloriu céu dos Lençois Maranhenses

Donos da casa ocuparam cinco primeiras posições do pódio; evento também contou com as mulheres, que elogiaram o formato

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Visual do Lençois Maranhenses ficou ainda mais especial com a dezenas de kites
MARCELO MARAGNI
Visual do Lençois Maranhenses ficou ainda mais especial com a dezenas de kites

Ao invés dos já conhecidos turistas, o Parque Nacional dos Lençois Maranhenses foi invadido por muitos especialistas no kitesurf, que coloriram o céu do local, durante a primeira edição do Red Bull Rally dos Ventos.

Atletas de sete países marcaram presença e elogiaram o nível da prova, que aconteceu em formato de rally. Durante os 16km, os atletas também tiveram que encarar trechos de areia, exigindo muito do físico e psicológico dos participantes.

Talvez por estarem acostumados com o clima e terreno, os brasileiros foram bem marcando presença nas cinco primeiras posições. A vitória ficou com Alexandre Neto (CE), atual quarto colocado no ranking mundial.

"Eu vinha na frente durante boa parte da prova. Mas bem próximo do final, eu errei e vi que o Bebê me passou. Quando chegamos à última duna, eu estava mais para direita e vi que ele escolheu um caminho pelo alto da duna, resolvi sair pro lado e, felizmente, encontrei água. Ali, consegui imprimir uma velocidade maior e vencer a prova", lembra Neto, referindo-se ao segundo colocado.

Bebê, ou Carlos Mário, mostrou a dificuldade que a prova teve, com a decisão saindo apenas nos últimos metros.

"Ele estava mais a minha direita e, na hora da decisão, acabou pegando um caminho melhor. Mas faz parte, o importante foi ter feito parte desta prova. Aqui é, sem dúvida, um dos lugares mais impressionantes do mundo", destaca.

Apesar da prova ter categoria única, as mulheres também tiveram um bom desempenho. O destaque foi a estoniana Kristiin Oja, que chegou na frente da brasileira Bruna Kajiya, de Ilha Bela (SP) e da norte-americana Susi Mai.

"Larguei mal e, no começo, vi muitos kites na minha frente. Como a prova é um rally e cada um pega um caminho, não sabia se estava em um percurso bom e fiquei bastante surpresa quando cheguei e soube que fui a primeira entre as mulheres. Estava super feliz de estar em um lugar como esse e agora estou mais feliz ainda após saber o resultado", declara Oja.