Após 'maratona', Carlos revela que pediu para sair de campo

Levir Culpi foi taxado de "burro" pela Massa alvinegra, mas precisou substituir avante que admitiu o cansaço na partida

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

Carlos foi um dos destaques do Atlético vice-campeão da Taça BH de Futebol Júnior
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Carlos foi um dos destaques do Atlético vice-campeão da Taça BH de Futebol Júnior

O que mais chamou a atenção na partida contra o Grêmio, nesse domingo, foi a formação ofensiva do Atlético, sem um centroavante fixo, promovida pelo técnico Levir Culpi. A velocidade e a troca de posições do quarteto de frente, composto por Dátolo, Diego Tardelli, Luan e Carlos, foi uma proposta interessante. Só faltou os avantes calibrarem o pé, algo que será a tônica dos próximos treinos do time, visando ao confronto desta quinta-feira, com o Goiás, no Serra Dourada.

Mas apesar da ousadia em não utilizar um homem de referência na área, Levir Culpi foi taxado de "burro" pela torcida alvinegra, por ter sacado Carlos no segundo tempo. Porém, depois do jogo, o próprio atleta, formado na base do Galo, disse que pediu para ser substituído.

"Pedi para sair. E o treinador viu que eu estava cansado. Eu vinha de nove jogos em 30 dias. Agora é me recuperar para quinta-feira", relatou Carlos, agradecendo o apoio da Massa. "Vi que a torcida está me dando moral, reconhecendo meu trabalho", completou.

O jovem atacante aprovou a nova proposta de jogo do Atlético, que lhe permite se movimentar bastante, sem uma posição fixa. Nesse domingo, ele atuou pelas duas pontas e também mais centralizado, confundindo a marcação adversária. Só não foi bem nas finalizações, fundamento que ele promete focar nos treinamentos.

"Estava trocando de posição com o Tardelli, de centroavante e ponta, que foi o que o professor me pediu. A gente se deu muito bem. Faltou só a vitória. Vamos treinar esta semana para enfrentar o Goiás mano a mano", ressaltou.

Um dos companheiros de ataque de Carlos, Luan também ficou satisfeito com o desempenho do novo sistema ofensivo, porém, está ciente de que é preciso evoluir no quesito chutes a gol.

"Se o Levir colocou essa formação, é porque ele tem confiança nela. E a gente teve oportunidade clara de gol. Faltou tranquilidade. Mas creio que não sentimos muita falta (de um centroavante de ofício). Fomos bem, faltou só o gol", comentou.

Leia tudo sobre: atleticogalolevir culpicarlostimecansaçogremiobrasileiro