Deputados defendem ausência

Irritado, o deputado Sargento Rodrigues (PDT) diz que é impossível segurar um parlamentar em plenário em época de eleição

iG Minas Gerais |

Em setembro, os deputados de Minas ainda não votaram nenhum projeto. O motivo foi o mesmo em todas as ocasiões: falta de quórum mínimo. A última votação na Casa aconteceu em 16 de julho. Projetos na pauta, conforme admitem os próprios parlamentares não faltam.

“Não adianta esconder a ausência dos deputados. Não conseguimos votar os vetos e outros projetos importantes envolvendo o Ministério Público, o Tribunal de Justiça e a própria Assembleia. Só tem a ver com eleição essa situação”, afirma o líder do governo Luiz Humberto (PSDB). Irritado, o deputado Sargento Rodrigues (PDT) diz que é impossível segurar um parlamentar em plenário em época de eleição. “O exercício do mandato não é concurso público. O deputado tem que ir ao encontro da base de quatro em quatro anos. A imprensa não está descobrindo o Brasil com isso”, disse se referindo a essa reportagem. Segundo Rodrigues, O TEMPO “está procurando cabelo em ovo. Devia ir ver se o promotor bate ponto”. Enquanto o painel eletrônico não é inaugurado no segundo semestre, situação e oposição trocam acusações. Um tucano, que pediu anonimato, diz que a culpa é da oposição, que não faz acordo para votação da Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 69. O texto pretende reintegrar à estrutura do Estado os quase 100 mil servidores efetivados sem concurso público pela Lei 100, considerada inconstitucional. “A oposição não deixa votar”, disse durante uma viagem na quarta-feira da última semana, em dia e horário de votação na Casa. Adelmo Leão garante que tem ido ao plenário e critica os colegas. “O fato de um deputado viajar um ou dois dias não pode o impedir de votar. Há uma má vontade dos deputados. A base, que é maioria, não está presente, e não tem quórum”, disse o petista, em uma entrevista, na última quarta-feira, quando estava na estrada viajando. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave