Levir explica veto a Jô, insistência em André e rebate críticas

Treinador negou que tenha ocorrido algum problema disciplinar com o atacante e disparou: "Ninguém entende nada"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Levir viu atleticanos mais perto de vencerem o confronto do que o Criciúma
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Levir viu atleticanos mais perto de vencerem o confronto do que o Criciúma

Logo no jogo em que o técnico Levir Culpi decidiu deixar seu atacante mais badalado de fora, o Atlético passou em branco e empatou com o Grêmio, dentro de casa. O treinador foi cobrado por ter barrado Jô, mas ter insistindo em André, que também não está correspondendo.

Levir disse que a situação dos dois atacante é semelhante e normal no futebol. Ele fez questão de rechaçar que Jô tenha sido vetado por alguma questão disciplinar, alegando que apenas o deixou de fora do jogo para que ele pudesse refletir melhor, já que está há 19 jogos sem balançar as redes.

“São situações parecidas. O Atlético não está numa fase legal. Todos passaram por isso, Ronaldinho, Fred. O André também. Preferi tirar o Jô desse jogo para ele ver as coisas de fora, pensar. Ele é um jogador importante, de ótima qualidade, então temos que analisar bem para não cometer injustiças”, disse.

Apesar de ter se dado ao luxo de não levar Jô para a partida, Levir reclamou por não ter condições de revezar jogadores, em virtude da maratona de jogos e o inevitável desgaste no elenco. O comandante alvinegro rebateu as críticas ríspidas que recebeu da Massa no independência, quando tirou o jovem Carlos e lançou o apático André em campo.

“É muito difícil manter um nível se não tiver um elenco muito grande e poder fazer uma espécie de revezamento. E o jogador que se machucou, entrar num jogo e jogar 90 minutos é muito perigoso. Ninguém entende nada, só entende quem está lá dentro”, finalizou.

Leia tudo sobre: atleticogalolevir culpitecnicocriticatorcidajoandre