Natura Musical reúne cerca de 50 mil pessoas em clima de tranquilidade

Quinta edição do festival inaugurou pela primeira vez um local dedicado às crianças, além de marcar a cidade com 12 horas de música e atividades culturais ininterruptas

iG Minas Gerais | Lucas Simões |

MAGAZINE / CIDADES . BELO HORIZONTE , MG

Natura Musical traz diversos eventos culturais e show musicais gratuitos a Belo Horizonte

Show Elba Ramalho e Mariana Aydar

FOTO: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 2014.09.14
Lincon Zarbietti / O Tempo
MAGAZINE / CIDADES . BELO HORIZONTE , MG Natura Musical traz diversos eventos culturais e show musicais gratuitos a Belo Horizonte Show Elba Ramalho e Mariana Aydar FOTO: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 2014.09.14

Três espaços públicos e aproximadamente 50 mil pessoas extasiadas pelas praças da Liberdade, JK e  da Estação. Sem registros de confusões ou tentativas de entrada à força no festival – como ocorreu no ano passado – a quinta edição do Natura Musical inaugurou pela primeira vez um local dedicado às crianças neste ano, além de marcar a cidade com 12 horas de música e atividades culturais ininterruptas, propiciando encontros especiais no palco, como Fernanda Takai e Samuel Rosa, além de shows singulares de Elba Ramalho, Pequeno Cidadão, Karina Buhr, Ney Matogrosso, Arnaldo Antunes e Pequeno Cidadão.

Logo às 10h, a praça da Liberdade se transformou em território infantil ao som da belo-horizontina Érika Machado e logo em seguida com apresentação do grupo Giramundo. Além de oficinas de pintura, dança, construção de brinquedos com material reciclável, a criançada aproveitou mesmo foi para cair na pista de dança ao som de hip hop e eltromusic. Assim como o show agitado da banda paulista Pequeno Cidadão, que mistura influências circenses com rock n’ roll e blues, o DJ Anderson Noise roubou a cena ao colocar na pista de Michel Jackson à Xuxa no projeto “Disco Baby”, entre remixes de clássicos infantis como “A Galinha Pintadinha” e “Atirei o Pau no Gato”.

A pequena Ana Flávia, 6, até se divertiu com petecas e bonecas de garrafa pet, mas não resistiu aos sintetizadores de música eletrônica. "Ela abandonou mesmo os brinquedos e saiu correndo para perto do palco. Aí a gente resolveu ficar aqui de olho porque ela só quer saber de pilhar na pista", disse às gargalhadas o empresário Marcelo Ferreira, 32, que veio acompanhado da mulher, a psicóloga Pâmela Dias Ferreira, 33.

Na praça JK, reduto alternativo do Natura Musical, o paraense Felipe Cordeiro abriu os shows da tarde com participações da conterrânea Luê e da cancioneira Dona Jandira, que chegou a ressaltar o Pará no palco. “É de lá que vem uma das melhores músicas do Brasil e que tem afinidade com Minas”, disse a cantora e compositora. Mas quem literalmente infernizou a plateia de 5 mil pessoas na praça JK foi Karina Buhr, interpretando repertório do clássico álbum “Secos & Molhados” (1973). “Uma das bandas mais fodas do mundo”, gritou extasiada a artista baiana criada em Pernambuco. Com a praça abarrotada de gente até fora dos gradis do evento, o público recebeu o maracatu atômico da Nação Zumbi, que contou com participação do rapper BNegão.

No palco mais esperado do Natura Musical, a praça da Estação foi o ponto de encontro para Fernanda Takai e Samuel Rosa apresentar, pela primeira vez em show, a canção “Para Curar Essa Dor”, uma versão de “Heal The Pain”, de George Michael, que estará no próximo disco da cantora. “Essa música foi gravada em duo por Paul MacCartney e George Harrisson. Aí eu pensei: se tem alguém em Minas que poderia ser o Paul nesse duo é o Samuel Rosa. Foi uma tarde linda”, disse Fernanda.

Apesar disso, um dos principais shows do festival só começou ao cair da noite. Sem dúvida, a estrela feminina do Natura Musical foi Elba Ramalho. Ao aparecer envolta em um vestido azul brilhante dizendo “vem dançar, BH”, ela arrancou o delírio do público antes mesmo de começar a cantar. Sem parar de pular por mais de uma hora no palco, a cantora baiana interpretou repertório clássico em homenagem a Gonzagão e Zé Ramalho, como “Gostosa Demais” e “Chão de Giz”. "Eu não vou embora mais", brincou Elba no fim do show.

“Catracaço”

Apesar do movimento “Catracaço Natura Musical” ter sido criado no Facebook no início da semana passada, incitando o público a pular os gradis do evento como forma de protesto pela exigência feita pela Prefeitura e pelo Governo de Minas para que o evento aconteça, nenhuma ocorrência foi registrada pela Polícia Militar (PM) até o fechamento desta edição. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma mulher desmaiou após sofrer uma queda de pressão, mas ela passa bem.

Das três praças, apenas a da Estação teve trânsito interditado em todo o seu entorno, o que causou congestionamentos na altura dos cruzamentos entre rua da Bahia, Augusto de Lima e Espirito Santo, principalmente. Ao todo, 1.600 funcionários, entre técnicos, bombeiros, policiais militares e guardas municipais trabalharam no Natura Musical.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave