Bellucci diz que vencer Espanha foi 'marco' na carreira

Atleta deixou a quadra em lágrimas depois do triunfo de 3 sets a 1

iG Minas Gerais | Agência Estado |

Bellucci terá caminho complicado no US Open
Divulgação / ATP
Bellucci terá caminho complicado no US Open

Herói do Brasil no inesperado triunfo sobre a favorita Espanha, Thomaz Bellucci afirmou que a vitória sobre Roberto Bautista Agut foi um "marco" em sua carreira. Com o triunfo sobre o 15º do ranking, neste domingo, o brasileiro somou o terceiro ponto da equipe nacional na série melhor de cinco jogos e selou o retorno do Brasil à elite do tênis mundial na Copa Davis.

"Para mim, esta vitória é um marco na minha carreira, uma das mais emocionantes", disse o número 1 do País, que deixou a quadra em lágrimas depois do triunfo por 3 sets a 1. "Hoje eu dei uma grande lição em mim mesmo, percebi que sou capaz de administrar todo o nervosismo, a ansiedade, e render no meu mais alto nível."

Bellucci revelou que as duas vitórias que conquistou neste confronto com a Espanha foram construídas desde o início da semana, a partir da confiança conquistada nos treinos. "Desde que começou a semana, eu sempre mentalizei que tinha possibilidade de ganhar os dois jogos", afirmou.

"O mais difícil na carreira de um jogador é jogar contra ele mesmo. Joguei cansado, mas consegui demonstrar o tempo todo que estava no jogo", declarou o tenista, que contou com o apoio da torcida nos momentos mais complicados da partida. "A torcida me incentivou muito desde o primeiro ponto. Foi muito bom saber que tinha o apoio deles."

Para o tenista, o triunfo consolida seu crescimento nas últimas semanas, depois de resultados aquém do esperado nesta temporada. "O tênis é muito ingrato às vezes. Você treina, treina e treina e não consegue os seus resultados. Mas às vezes somos recompensados pelo trabalho, por toda a dedicação."

Bellucci também comemorou o triunfo por conta do almejado retorno ao Grupo Mundial da Davis. E, em tom de desabafo, pediu mais apoio aos jogadores da equipe, ainda na esteira das críticas sofridas pelo capitão João Zwetsch por ter convocado Rogério Dutra Silva, em detrimento de João Souza, o Feijão, que apresenta melhor ranking.

"Para o tênis brasileiro, é uma vitória que vem em boa hora. Eu, o Bruno, o Marcelo e o Rogério sempre damos o nosso máximo e muitas vezes essa rapaziada não é reconhecida. Mas hoje mostramos o nosso valor. Mostramos que, mesmo sem tanta tradição no tênis, podemos ganhar da Espanha. Temos que valorizar os jogadores que temos sem ficar criticando tanto."

Leia tudo sobre: EMOCIONANTEmarcothomaz belluccicopa davis