Marina Silva evita viagens de jatinho por medo

Candida disse que faz suas viagens de compromissos de campanha em voos comerciais e de jatinho, somente em último caso

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Marina diz que
Valter Campanato/ABr
Marina diz que "não há nenhum fato" contra Campos no caso da Petrobras

Após a morte de Eduardo Campos, a candidata do PSB à presidência da República Marina Silva entrou pela primeira vez em um avião pequeno no sábado (6). Segundo informações da Folha de São Paulo, ela fez uma viagem de São Paulo para Vitória da Conquista, na Bahia, mas precisou conversar com o piloto para se acalmar, antes de embarcar.

A candidata disse que mesmo o tempo estando bom, quando o avião balança, perde a compostura. "Rezo muito e peço a Deus que nos proteja".

Lembrar do acidente que matou o companheiro de chapa, deixa Marina engasgada. Ela conta que eles tinham combinado de caminhar juntos até o início da propaganda eleitoral e, em seguida, iriam se separar para crescer nas pesquisas.

A candidata prefere fazer viagens em voos comerciais. Marina diz que o sofrimento por viagem aérea piorou com a morte de Campos. Em 1994, ela enfrentou um grande susto quando fazia uma viagem de Rio Branco para Brasileia, no Acre, ao enfrentar uma turbulência muito forte.

Marina sempre chega ao aeroporto com uma hora de antecedência e aguarda o voo em uma sala separada para autoridades. Segundo seus assessores, é neste momento que a candidata se prepara e tenta se acalmar. Ela ressaltou que só vai entrar novamente em um jatinho quando realmente não tiver opção.

O que tem distraído um pouco a candidata é o reconhecimento durante os voos, onde seus eleitores e admiradores tiram fotos e aproveitam para conversar um pouco com ela.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave