Santa esculpida chama atenção na avenida Cristiano Machado

Igreja de Santo Expedito e Nossa Senhora, inaugurada em 2008, conta agora com uma representação da santa

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA |

Uma imagem de 3,5 metros de Nossa Senhora de Aparecida chama a atenção de quem passa pela avenida Cristiano Machado, no trevo do bairro Guarani, na região Norte de Belo Horizonte. A Igreja de Santo Expedito e Nossa Senhora conta agora com uma representação da santa, para fazer companhia ao Santo, inaugurada em 2008, ambas têm a mesma autoria.

As esculturas foram feitas por Afonso Barra, que completou ontem sua obra, após cinco dias de trabalho. Natural de Três Corações, na região Sul de Minas Gerais, Afonso começou a esculpir e desenhar, aos 5 anos de idade. Hoje, aos 52, possui em seu currículo diversas imagens sacras, o que junta dois gostos de infância. “Minha mão dizia que, quando eu era bebê, ela me levava à igreja e eu ficava olhando sem piscar para as imagens. Hoje consigo fazer essas esculturas sacras só de cabeça”.

Apesar da vertente religiosa, sua obra mais notória é uma representação em tamanho real de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. A escultura do conterrâneo famoso foi inaugurada em 2002, em frente ao parque municipal de Três Corações, pelo próprio Rei do Futebol. “Nem deu para conversar direito com ele, havia 40 mil pessoas em volta, tirando foto o tempo inteiro, uma confusão”, lembra Afonso.

Além da imagem de Nossa Senhora, também foram esculpidas a imagem de um homem e uma mulher com uma criança no colo, aos pés da santa. A obra faz parte de uma reforma maior da igreja, que deve terminar no final do ano, ao custo de aproximadamente R$50 mil. A remodelação está sendo financiada somente com dinheiro de doações, segundo o padre Savio Santos, fundador e responsável pela igreja. O párofco comemora a parceria com o escultor. “Eu o chamei há aproximadamente um mês, só falei qual era a minha ideia, essa representação da família unida, em devoção, e a execução casou direitinho com a ideia”.

Barulho 

Quanto à nova escultura, o maior desafio para Afonso Barra não foi a exposição ao sol ou mesmo o manuseio de 400 quilos de cimento, para dar forma à Nossa Senhora.

“Eu suportei uma coisa que achei que jamais fosse suportar, esse barulho da rua”, conta Afonso, que diz não ter desistido por pouco. “Na quarta-feira eu tive vontade de sair correndo de volta pra minha cidade. Barulho nunca combinou com arte, eu costumo esculpir em locais mais calmos”.

No fim do mês, Afonso Barra terá a oportunidade de fazer outro trabalho, em ambiente mais propício. Ele foi contratado por um complexo turístico de Carangola, na Zona da Mata mineira, para esculpir os personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo, de Monteiro Lobato.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave