Família de auditor fiscal morto faz protesto no bairro Padre Eustáquio

Grupo exige prisão preventiva da viúva da vítima, que seria mandante do homicídio; crime aconteceu em fevereiro deste ano

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Cerca de 30 familiares e amigos do auditor fiscal Iorque Leonardo Barbosa Júnior, de 42 anos, assassinado em fevereiro deste ano fazem um protesto, na manhã deste sábado (13), no bairro Padre Eustáquio, na região Noroeste de Belo Horizonte. O grupo cobra uma solução para o caso.

“Esta é a nossa segunda manifestação. Queremos justiça e que o caso do meu irmão seja resolvido”, disse Iuri Kener Leonardo Barbosa.

Nessa sexta-feira (12), a família protestou em frente ao Fórum Lafayete, na região Centro-Sul da capital mineira. O grupo pediu a prisão preventiva de Alessandra Lúcia Pereira Lima, de 41, viúva da vítima e a principal suspeita do crime.

Relembre o caso

Iorque foi assassinado no dia 18 de fevereiro, no bairro Padre Eustáquio, no momento em que seguia para o trabalho. Ele foi surpreendido por um Renault Scenic com três ocupantes. Testemunhas informaram à Polícia Militar que um dos bandidos teria atirado pelo menos quatro vezes contra o homem, que morreu no cruzamento entre as ruas Curupaiti e Lorena.

O auditor da Prefeitura de Belo Horizonte teria sido morto a mando da mulher, que teria estabilidade financeira com a execução do marido. Além disso, a suspeita teria um relacionamento extraconjugal.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave