Preconceito: doença

iG Minas Gerais |

Amados, hoje nosso assunto é muito sério. Além de muita oração, quero pedir a todos uma profunda reflexão. Gostaria que, em nome de Jesus Cristo, todos colocassem a mão na consciência, pois hoje quero orar com toda a nossa fé, contra qualquer tipo de preconceito. Amigos, chega a ser absurdo, ridículo, o cúmulo da ignorância, estarmos em pleno século XXI e sermos obrigados a conviver com atitudes tão retrógradas, tão maldosas, com um ódio tão grande embutido em frases e afirmações. Será mesmo que precisamos lembrar tantas pessoas, que todos vieram ao mundo da mesma maneira e a única certeza que temos é que um dia, todos iremos partir deste planeta. É mesmo necessário lembrar que todas as pessoas do mundo precisam se alimentar para viver, precisam trabalhar para pagar suas contas, precisam se divertir para relaxar das pressões profissionais, precisam se aquecer para se proteger do frio, precisam educar e amar seus filhos, portanto, todos nós somos iguais, é como se fôssemos vizinhos que dividimos o mesmo planeta. Posso, sem nenhum problema, me referir ao preconceito como uma doença cruel, que leva sofrimento e dor a pessoas de todas as classes sociais, em todas as partes do mundo. Essa doença é identificada quando uma pessoa ou um grupo específico é rotulado, catalogado, devido a sua cor, seu cabelo, sua classe social, seu peso, sua altura ou qualquer característica que o torne único. As consequências dessa doença são: intolerância, exclusão, segregação, discriminação e o ódio. Como coloquei acima, todos os seres humanos são iguais, sentem as mesmas necessidades, os mesmos desejos de viver em paz e crescer em suas áreas profissionais, pertencem à mesma espécie: Homo Sapiens. Inúmeros estudos, que datam desde o início dos tempos, comprovam que as diferenças entre os povos são superficiais, e os seres humanos têm mais características semelhantes do que diferentes. Porém, inexplicavelmente, muitos desses seres humanos continuam dando importância para diferenças externas. O preconceito afeta a todos. À medida que esse mal se manifesta no julgamento há indivíduos que nada fizeram para serem apontados ou excluídos de um local, um grupo ou uma situação específica. Por isso, amados, vamos orar para exterminar totalmente essa “doença” da vida e do coração de todas as pessoas. Todos são iguais aos olhos de Deus, lembrem-se disso! Respeite as diferenças, respeite a todos em sua volta, não faça distinção entre pessoas, grupos ou etnias, e viva em paz! Juntos podemos fazer um mundo melhor! Padre Marcelo Rossi

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave