Estudante carrega colchão para protestar contra seu estuprador

Criado por Emma Sulkowicz, ‘Carry That Weight’ ganha adeptos pelo mundo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Apoio. Emma (esq.) decidiu que irá carregar o colchão, no qual o crime aconteceu, até que o rapaz seja expulso
Arquivo pessoal
Apoio. Emma (esq.) decidiu que irá carregar o colchão, no qual o crime aconteceu, até que o rapaz seja expulso

A jovem universitária Emma Sulkowicz, 23, foi estuprada dentro de seu dormitório na Universidade de Columbia, em Nova York, nos Estados Unidos. Ela registrou queixa na instituição, que não aceitou a denúncia, questionando “como era fisicamente possível um estupro anal ser consumado”.

Para protestar e exigir justiça, Emma decidiu que irá carregar um colchão – onde o crime foi consumado, inclusive – até que o rapaz seja expulso da universidade, mesmo que seja durante toda sua graduação. O ato comovente virou tema do seu projeto final de bacharelado em artes visuais, intitulado “Carry That Weight” (“Carregue Esse Peso”, em tradução livre).

A proposta da artista é dar visibilidade à causa. “Eu perdi amigos porque algumas pessoas simplesmente não entendem o que significa ser estuprada”, afirmou.

Emma não foi a única vítima do suspeito; ela e outras duas estudantes foram violentadas pelo mesmo homem, que foi inocentado em audiência realizada pela instituição. Para Emma, a universidade está “mais preocupada com a sua imagem pública do que em manter as pessoas seguras”.

União. A artista poderia ter guardado para si a agressão sexual, mas decidiu realizar o protesto para que crimes como esse não fiquem impunes. O movimento tomou força e agora é acompanhado pelo “Carry the Weight Together” (Carregue o Peso Juntos, em tradução livre). Em sua página no Facebook, o movimento afirma que está oferecendo apoio internacional à jovem e a todos os sobreviventes de violência sexual.

A proposta também é um protesto contra as políticas da Universidade de Columbia em relação aos casos de assédio.

Os responsáveis pela iniciativa também usam o Facebook para organizar eventos de conscientização. Dois deles aconteceram somente nesta semana.

“De imediato eu notei uma forma significativa para que eu, junto com outros membros da nossa comunidade, me envolvesse diariamente para acabar com a violência sexual e com a cultura do estupro em nossa universidade. Vamos ajudar Emma a levar o seu colchão todos os dias”, comentou a estudante do Barnard College Allie Rickard na página oficial do movimento.

Flash

Abuso. Cerca de 120 milhões de mulheres com menos de 20 anos foram vítimas de abuso sexual em 2012, de acordo com um relatório da ONU, em parceria com o Unicef.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave