Sérvia vence a França e vai à final do basquete

Depois de eliminar a seleção canarinho, herdeira da Iugoslávia faz jogo memorável e se garante na briga direta pelo título

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O Mundial Masculino de Basquete ainda não acabou, mas já deixou uma lição: fase de grupos é uma coisa, mata-mata é outra completamente diferente. A prova disso é que a Sérvia, que avançou apenas como quarta colocada do seu grupo na primeira fase, venceu a França nesta sexta-feira, em Madri, por 90 a 85, e está na final contra os Estados Unidos.

Pelo criticado regulamento do Mundial, os times dos Grupos A e B se cruzaram até as semifinais. Mas, nas oitavas, todos os confrontos entre as duas chaves tiveram vitória das equipes que vieram do Grupo A. Assim, Espanha, Brasil, França e Sérvia definiriam um finalista.

Com base na primeira fase, a Espanha era favorita, a Sérvia a zebra. E é exatamente a herdeira dos resultados esportivos da ex-potência Iugoslávia quem está na final. Eliminou Grécia (líder do Grupo B), Brasil e França, dois times dos quais havia perdido na fase de grupos. Os franceses haviam tirado os espanhóis, que estavam invictos.

Para chegarem à final, os sérvios fizeram um jogo memorável contra os franceses nesta sexta. No primeiro tempo, chegaram a abrir 18 pontos, indo para o intervalo com uma folga de 14 e a impressão de que o jogo estava ganho.

No segundo tempo, porém, Nicolas Batum, jogador do Portland Trail Blazers, mudou o jogo. Ele fechou a partida com oito acertos em 11 arremessos de três pontos (a estatística oficial é 8/12 porque ele jogou para o alto a última bola da partida). Assim, somou incríveis 35 pontos em uma semifinal de Mundial em que seu time fez 85.

Os franceses, atuais campeões europeus, jogam o Mundial sem Tony Parker (San Antonio Spurs) e Joakim Noah (Chicago Bulls). Boris Diaw (Spurs) tentou resolver também, pegando 10 rebotes e acertando três de cinco arremessos de quadra. Mas não foi suficiente.

Do lado sérvio, outra grande partida o armador Teodosic, com 24 pontos. Na equipe, porém, a pontuação foi mais dividida, com outros cinco atletas entre 11 e 13 pontos. A final é domingo, às 16h (de Brasília), em Madri. No sábado acontece a decisão do terceiro lugar, também na capital espanhola, às 13h.

Leia tudo sobre: basquetemundialserviafrançafinal