Após mostrar serviço, jovem Carlos pode virar centroavante

Bom desempenho nos três jogos seguidos que fez pode render ao avante velocista a vaga de Jô, que não vem correspondendo

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

Imagine ter um centroavante de nível de seleção que não marca gol há 19 partidas e sequer balançou as redes após um turno de Campeonato Brasileiro. O que você faz para tentar mudar este quadro? A solução pode vir da categoria de base. E é nela que o técnico Levir Culpi recorre para mudar a cara do ataque, já que Jô não está dando conta do recado. A bola da vez é Carlos.

Um dos principais jogadores do time júnior alvinegro, vice-campeão da última Taça BH, Carlos ganhou uma sequência na equipe principal com Levir. E o desempenho do atleta de 19 anos nos três embates seguidos agradou ao treinador e boa parte da torcida. A confiança do comandante é tão grande que ele quer fazer do velocista uma referência de área.

Ao ser questionado pela imprensa sobre o novo posicionamento no time, Carlos se mostrou surpreso. “Não estou sabendo disso (ser centrovante), mas se quiser, espero poder aproveitar. Joguei como centroavante antes (na base) e espero ter um aproveitamento bom”, disse o garoto.

Mesmo assim, ele ressalta que sua maior virtude é atuar com velocidade pelos flancos. “A bola aérea não seria tão boa para mim. Gosto mais de jogar pela beirada, com mais velocidade. Mas se tiver de jogar como centroavante, vou fazer o melhor”, ressaltou.

O avante não pretende escolher sua posição na equipe. O que ele quer mesmo é jogar e balançar as redes pela primeira vez neste Brasileirão. “Estou trabalhando forte, jogando bem e o gol vai sair naturalmente”, comentou.

Leia tudo sobre: AtleticoGaloCarlos