Há 30 anos, Jordan assinava com os Bulls e mudava a história

Aos 51 anos, o ex-jogador administra carreira de sucesso, tendo sua marca associada à empresas como Nike, Coca-Cola, Gatorade, Chevrolet, Mc Donald's e etc.

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Michael Jordan assina com os Bulls em 12 de setembro de 1984
BULLS/REPRODUÇÃO
Michael Jordan assina com os Bulls em 12 de setembro de 1984

12 de setembro de 1984. Há exatos 30 anos, o jovem Michael Jeffrey Jordan assinava com o Chicago Bulls, um contrato que mudaria não apenas a história da franquia, mas a história do esporte mundial. Gabaritado após uma carreira vitoriosa na Universidade de North Carolina, inclusive com um título nacional no currículo, o jogador, de apenas 21 anos, selecionado como a terceira escolha do draft da NBA, estabeleceu um vínculo de cinco anos com possibilidade de extensão por mais duas temporadas por US$ 6 milhões com mais US$ 1 milhão de bônus só pela assinatura, tendo uma média salarial de US$ 1 milhão por ano.

Nos dias de hoje, estes valores chegariam a US$ 16 milhões (R$ 37,3 milhões), com uma média de US$ 3,2 milhões por temporada. Números irrisórios perto dos vencimentos das novas estrelas da NBA. Em seu primeiro ano de liga, Jordan anotou uma média de 28,2 pontos por partida, mas a evolução de seu jogo acabou interrompida na temporada 1985-1986, quando quebrou o pé no terceiro jogo do ano. 

Mas, na jornada seguinte, a redenção do jogador, que transformou-se no primeiro jogador a marcar 3000 pontos em apenas uma temporada, igualando o recorde obtido anteriormente apenas por Wilt Chamberlain. E o que se viu nos anos seguintes foi só a constatação de que o Chicago Bulls tomou a decisão mais acertada de toda a sua história. 

Com a camisa dos Bulls, Jordan foi simplesmente seis vezes campeão da NBA, além de ter sido o jogador mais valioso (MVP) de todas as finais que disputou. Membro integrante do Dream Team de 1992, ele ainda foi bicampeão olímpico, 10 vezes líder em pontuação da NBA, três vezes eleito o MVP do Jogo das Estrelas, evento em que foi selecionado em 14 oportunidades, além de ter seu nome incluído no Hall da Fama do basquete. 

Relembre Michael Jordan: 

Seu legado para o esporte o faz ser sempre lembrado como um dos maiores atletas de todos os tempos. Hoje, aos 51 anos, o ex-jogador administra uma carreira de sucesso no mundo do marketing, tendo sua marca associada à várias empresas, entre elas Nike, Coca-Cola, Gatorade, Chevrolet, Mc Donald's, Rayovac, além de sua própria linha de aparelhos esportivos - a Jordan Brand. 

Fortuna de 1 bilhão. Estima-se que os ganhos anuais de Jordan girem em torno de US$ 90 milhões e seu patrimônio líquido de US$ 750 milhões. Jordan tornou-se um investidor do Charlotte Hornets, time de basquete norte-americano, em 2006 e virou o acionista controlador em 2010.

Em janeiro deste ano, os Hornets foram valorizados em US$ 410 milhões. Analistas dizem que a equipe, atualmente, vale entre US$ 600 milhões a US$ 625 milhões. Depois de subtrair todo o dinheiro que Jordan teria investido no time, estima-se que seu patrimônio líquido tenha atingido US$ 1 bilhão.

Leia tudo sobre: basquetenbamichael jordancontratochicago bulls