Dia de música nas praças de BH

Festival Natura Musical acontece no domingo com encontros de nomes de peso da MPB e apresentações ao ar livre

iG Minas Gerais | Daniel Barbosa e Lucas Simões |

Karina Buhr traz à cidade seu show especial em homenagem aos Secos e Molhados
unknown
Karina Buhr traz à cidade seu show especial em homenagem aos Secos e Molhados

As enormes filas que se formaram na praça da Estação para retirada dos ingressos para o Festival Natura Musical, esgotados desde anteontem, dão a dimensão da expectativa do público de Belo Horizonte pelo evento, que chega à sua 4ª edição no próximo domingo. Tal expectativa se ampara, sobretudo, na qualidade da programação, que mescla nomes de ponta da MPB, como Ney Matogrosso, Elba Ramalho, Arnaldo Antunes e Marisa Monte, com outros que se tornaram referência a partir dos anos 90, como Nação Zumbi, Fernanda Takai e Karina Buhr, e ainda representantes de uma nova geração que já se firma, como Marcella Belas e Luê. Tais nomes estarão agrupados ao longo de 12 horas de programação nas praças da Estação, JK e da Liberdade.

Fernanda Paiva, gerente de patrocínios e de apoio da Natura, diz que o critério de seleção dos artistas é a diversidade e a identificação com a audiência. “Buscamos atrações com grande apelo, que expressem diversidade musical, de regiões distintas e para perfis de diferentes públicos. Tem o palco de novos artistas, com uma programação mais alternativa, tem a praça (da Estação) voltada para atrações de maior porte, para o grande público, e, o que é uma novidade, tem um espaço com programação 100% voltada para o público infantil”, diz, acrescentando que, de resto, o evento segue o modelo dos anos anteriores.

Para os artistas, é a oportunidade de congraçamento com a massa. “Adoro fazer show assim, em espaço público, de graça, por ser sempre uma plateia muito vibrante, muito calorosa. É emocionante cantar para muita gente, porque você está lidando com uma energia coletiva grande”, diz Arnaldo Antunes, que encerra a programação na praça da Estação, contando com a participação de Marisa Monte. Ele adianta que vai mostrar o show de seu mais recente álbum, “Disco”, de 2013, e, com a convidada, cantar músicas como “Ainda Bem”, “Sem Você” e “Dizem”, registradas ao longo de sua discografia, além de relembrar temas dos Tribalistas.

Ney Matogrosso, que se apresenta antes, na mesma praça, também com o show que promove seu mais recente disco, “Atento aos Sinais”, reforça o coro sobre tocar ao ar livre. “É o mesmo show que venho apresentando, não é pelo fato de ser em praça pública que muda, pelo contrário, aí é que é bom, porque normalmente você tem uma plateia mais efusiva. Quando faço esse show ao ar livre – e já fiz algumas vezes desde que ele está na estrada –, as pessoas têm a oportunidade de dançar, já que é um repertório bem pra cima, bem animado”, destaca.

Na praça da Liberdade, que abriga a programação infantil, o destaque é o grupo paulistano Pequeno Cidadão, formado por Edgar Scandurra, Taciana Barros e Antonio Pinto, e que vai interpretar canções dos dois discos homônimos da carreira, de 2009 e 2012, além de preparar várias surpresas. “Teremos uma malabarista que vai interagir com o público, estamos até vendo a possibilidade de colocar uma rampa do palco ao chão, para esse contato. Vamos convidar uma criança para cantar com a gente, além de fazer uma versão acústica de ‘Flores Em Você’, do Ira!. A gente gosta de experimentar novidades no show e essa nunca fizemos”, diz Taciana.

Experimentação sonora é o que não vai faltar na praça JK, que recebe encontros de vários nomes de latitudes distintas e onde Karina Buhr se apresenta cantando o repertório do clássico álbum de estreia dos Secos e Molhados. De delineador preto forte nos olhos e uma maiô especial “dedicado a Ney Matogrosso”, como faz questão de frisar, ela vai passear por pérolas como “Sangue Latino”, “O Vira”, “Rosa de Hiroshima”, “Amor” e “Mulher Barriguda”. Sobre uma possível participação de Ney Matogrosso, Karina prefere desconversar em tom de brincadeira. “Ia ser lindo, imagina!? Mas os shows dele e meu são em horários muito próximos, e se isso fosse rolar, era melhor que fosse surpresa, não? De todo jeito, é uma homenagem pessoal àquela formação dos Secos e Molhados, uma influência muito forte para mim”, diz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave