Diretoria do Fla aumenta preço de ingresso e é criticada

Com a alteração nos preços, já não existe tanta certeza de que o Maracanã vai ter a carga esgotada

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Flamengo já jogou no Mané Garrincha, na rodada passada
Leonardo Buarque - Fla Imagem
Flamengo já jogou no Mané Garrincha, na rodada passada

Há uma falta de sintonia entre a cúpula do Flamengo e os que dirigem o futebol do clube. Isso por causa do aumento dos ingressos para o jogo de domingo, contra o Corinthians, no Maracanã. O presidente Eduardo Bandeira de Mello autorizou que o bilhete mais barato até então, de R$ 40, passasse para R$ 50 e isso provocou mal-estar na sede da Gávea. O vice-presidente de Futebol do clube, Alexandre Wrobel, não gostou da alteração. Embora não se pronunciasse publicamente, a comissão técnica ficou ao lado de Wrobel por entender, como ele, que o momento é de lotar de novo o Maracanã, como no sábado passado - derrota para o Grêmio. Apesar do tropeço contra os gaúchos, há um consenso entre os flamenguistas de que o Fla consegue render mais com o apoio em peso de sua torcida. Com a alteração nos preços, já não existe tanta certeza de que o Maracanã vai ter a carga de ingressos esgotada. A fila nesta quinta-feira em torno do estádio, para a compra dos bilhetes, foi intensa durante várias horas. Até a noite de quarta-feira, 10 mil ingressos haviam sido vendidos. Muitos torcedores protestaram contra o aumento em redes sociais e até mesmo nos guichês de venda. Há ingressos mais baratos, mas disponíveis apenas para quem é sócio-torcedor do Flamengo.

Leia tudo sobre: TorcidaFlamengofutebolesportesbrasil