Camponesa-Minas vai para a cozinha em busca de dieta saudável

Após proposta de líder Walewska, jogadoras participaram de aula com nutricionista para aprenderem culinária voltada para esporte de alto rendimento

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

ESPORTES - BELO HORIZONTE MG - 10.9.2014 - Atletas do Volei Feminino do Minas participaram de um curso de culinaria FIT em Belo Horizonte MG. 
Foto: Douglas Magno / O Tempo
douglas magno
ESPORTES - BELO HORIZONTE MG - 10.9.2014 - Atletas do Volei Feminino do Minas participaram de um curso de culinaria FIT em Belo Horizonte MG. Foto: Douglas Magno / O Tempo

O papel de Walewska de ser uma líder no jovem grupo da Camponesa-Minas, esta temporada, já está dando frutos. Contratada pouco antes da Copa, a jogadora de 34 anos serve de referência para as companheiras e propôs uma grande mudança no grupo: alimentação voltada para o esporte de alto rendimento.

“Sempre fui muito interessada pela parte de alimentação, sempre fui disciplinada neste aspecto. Isso é muito importante para os atletas. Precisamos aprender a nutrir nosso corpo para o alto rendimento. Acho importante as meninas aprenderem um pouco mais. Estou muito feliz em ver o grupo motivado para esta atividade. É uma realização pessoal trazer as companheiras da Camponesa/Minas para ter este contato com alimentos saudáveis”, explicou Walewska.

Na noite de quarta-feira, as jogadoras minastenistas participaram de um curso com a nutricionista Adriana Esteves, no Belvedere, sobre a culinária saudável voltada para o esporte. Em clima bastante descontraído, algumas mostraram o talento na cozinha e outras aproveitaram para revelar hábitos menos saudáveis das amigas, como o vício em biscoitos recheados.

Entre brincadeiras e caretas, o grupo aprendeu a fazer sucos antioxidantes, lanches nutritivos como sanduíche natural, salada, massa e até um peixe. Quem já gostava de ficar na cozinha, como a central gaúcha Val, saiu bastante inspirada para seguir o cardápio montado para antes e depois dos treinos.

“Eu gosto muito, tenho muito interesse na parte nutricional e cozinha principalmente. Sempre tive, desde pequena. A maneira de fazer não muda muito, o que muda é a qualidade das coisas. Agora que estou conhecendo mais essas comidas mais saudáveis, produtos que são orgânicos, que não são”, contou ela.

A ponteira Jéssica, que mora com mais duas outras atletas, também garante que tem a muito aprender com Wal, como é chamada a líder da equipe, e que se surpreendeu positivamente com as receitas.

“A gente em casa não cozinha tão saudável assim, mas a Walewska mesma falou com a gente que era para começarmos a cozinhar melhor e vamos começar a seguir esse caminho. Estou adorando porque é uma comida bastante saudável. Todo mundo só pensa no verde, em coisas amargas, e as coisas aqui são bem gostosas”, disse a jogadora.

Com tantas jovens na turma, é mais do que comum as reuniões e festinhas entre as atletas. Com a gaúcha no comando da cozinha, o cardápio que variava de churrasco a bolo, agora também terá um teor mais nutritivo.

“Eu não sou chef, mas sempre arrisco. Segundo a minha vó a gente só aprende a fazer comida queimando panela, então já fiz de tudo, desde feijão até carne, carne de forno, tudo que imagina eu já tentei. Tenho muito interesse de procurar receita na internet, tenho meu caderno em que anoto minhas receitas, tiro cópias e vou mexendo. Lá na república, quando tem as festinhas do time eu faço doce, mas agora vou fazer coisas mais saudáveis”, completou ela.

Leia tudo sobre: camponesa-minasminasvôleiculináriacozinhavalwalewskabelvederecursojéssicareceitassucos antioxidantes