Brasil vence China e chega à milésima vitória em Mundiais

Equipe passou pelo adversário sem muitos problemas e está muito perto da vaga na terceira fase da competição

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Brasil teve, novamente, bom desempenho no bloqueio
DIVULGAÇÃO - FIVB
Brasil teve, novamente, bom desempenho no bloqueio

A seleção brasileira masculina de vôlei não teve grandes dificuldades para fazer valer seu favoritismo e vencer a China por 3 a 0 (25/14, 25/23 e 25/18) no segundo jogo da segunda fase do Mundial, que acontece na Polônia. com o resultado, o time de Bernardinho manteve a invencibilidade e somou a sétima vitória na competição. Apesar de ainda não estar matematicamente classificado, o Brasil está muito próximo da terceira fase, que terá a presença de seis times divididos em dois grupos.

O triunfo foi o 100º do time na competição, que teve sua primeira edição em 1949. Sob o comando de Bernardinho, foi a 32ª vitória.

"A trajetória do Brasil no Mundial é longa e fico feliz e orgulhoso de fazer parte disso. Participei de alguns capítulos e outros mais virão. Este é meu quarto Mundial e ainda estamos em um processo de construção. Antes de mim, vieram 68 vitórias, com outros protagonistas da modalidade", destaca o treinador, que lembrou da responsabilidade que o time ganha a cada torneio.

"Com os títulos, aparecem as críticas e as exigências, que são normais por tudo que já fizemos. Isso é natural e as novas gerações terão que aprender a conviver com isso", mostra.

Dentro de quadra, o Brasil começou impiedoso, sem dar chances para os chineses, franco atiradores. Os saques forçados entraram bem durante toda a partida e foram responsáveis por vários aces. A dificuldade no passe chinês deixou o trabalho do bloqueio brasileiro mais fácil. O paredão, que havia aparecido bem no jogo do dia anterior, contra a Bulgária, voltou a mostrar sua força e teve boa atuação.

Com o passe na mão, Bruninho abusou dos centrais, que não encontravam marcação do outro lado. Foi somente no começo do segundo set que o central Lucão foi parado, pela primeira vez, pelos chineses.

Foi também nesta etapa que o jogo apresentou maior equilíbrio, com os asiáticos diminuindo os erros e forçando mais o jogo. Menos concentrado, o Brasil fez com que a troca de pontos fosse uma constante. O 2 a 0 veio somente na diferena mínima de pontos, que mostrou que o time precisava tomar mais cuidados para não ser surpreendido.

No terceiro set, o quadro do começo do jogo se repetiu e o Brasil imprimiu um forte ritmo desde o começo. Uma boa vantagem foi aberta logo no início da parcial e foi mantida até o final, confirmando mais um importante triunfo.

Neste sábado e domigo, às 11h40 (horário de Brasília), o Brasil encara Canadá e Rússia, respectivamente, em jogos que irão definir a posição do time ao final da segunda fase. "Serão testes mais importantes para o nosso time. A Bulgária não jogou o que pode e acredito que o mais importante é que estamos crescendo e mostrando consistência", resume Bernardinho.