Símbolo das praias francesas, topless perde espaço entre mulheres jovens

Onde antigamente as autoridades defendiam a prática do topless, há agora uma pressão para restringi-la

iG Minas Gerais |

Passado? Muitas mulheres francesas não estão aderindo mais ao topless
Jacques Brinon
Passado? Muitas mulheres francesas não estão aderindo mais ao topless

Paris, França. Um dos ícones das praias da França está se tornando cada vez mais raro: o topless feminino. Apenas 2% das mulheres francesas com menos de 35 anos querem tirar a parte de cima do biquíni em público, de acordo com uma pesquisa da revista “Elle”.

“É visto como algo vulgar. As pessoas têm mais pudor nos nossos dias”, explica Muriel Trazie, 60, que mantém seus peitos longe do olhar público enquanto toma sol nas praias de Paris montadas durante o verão à beira do rio Sena.

Nos anos 60, o topless se tornou uma símbolo das feministas francesas. “Se os homens não precisam usar a parte de cima, por que nós precisamos?”, clamavam elas. Foi nessa época que fotos de Brigitte Bardot na Cote d’Azur circularam o mundo.

Mas os tempos mudaram. Alguns associam a falta de adesão ao topless a uma simples mudança no estilo de moda no país, com a tendência recente de usar maiôs completos ou biquínis que acentuam a parte de baixo do corpo.

Mas sociólogos afirmam que o topless deveria ser levado mais a sério, e alguns dizem que as mulheres francesas esqueceram as conquistas do feminismo. Pesquisadores apontam para que a “geração X” na França está dando um passo atrás e abraçando valores tradicionais.

Onde antigamente as autoridades defendiam a prática do topless, há agora uma pressão para restringi-la. Em Paris, uma placa em um parque onde muita gente toma sol avisa: “Em parques e jardins, não se esqueça de usar a parte de cima do biquíni”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave