Ansiedade é gatilho de distúrbio

“Eu fumava e tomava muitos remédios para dormir, e, por indicação de um médico, comecei a fazer ioga

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

A ansiedade é apontada como um dos principais sintomas desencadeadores do desequilíbrio que provoca a maioria dos casos de compulsão alimentar, segundo a professora de ioga, mestra de reiki e terapeuta holística Ailla Pacheco. Por isso, ela afirma que não é novidade o fato de a meditação ser adotada como um “remédio” nesses casos.  

“Existem inúmeras técnicas de meditação, e os diversos estudos desenvolvidos em todas as partes do mundo mostram que essa atividade tem se apresentado de forma cada vez mais efetiva para controlar a ansiedade, o medo, as fobias, a depressão, a insônia, promovendo o autocontrole”, afirma.

Praticante de ioga há 20 anos, a costureira Cassiana Campos, 70, conta que os exercícios já proporcionaram várias melhorias em seu organismo, e, tomando como base o seu caso, ela acredita, sim, nos benefícios da meditação para a compulsão alimentar.

“Eu fumava e tomava muitos remédios para dormir, e, por indicação de um médico, comecei a fazer ioga. Em pouco tempo, já tinha parado com tudo (remédios, cigarro). Tenho diabetes e já tive a pressão dos olhos muito alta e, em um mês, consegui estabilizar só com exercícios de ioga”, relata.

Integral. Segundo Ailla, seja qual for o tipo de técnica utilizada, para que o “ser humano tenha equilíbrio, é importante que ele não cuide apenas do corpo, mas integralmente, de forma holística”.

Dessa forma, outras metodologias e filosofias como ayurveda – milenar sabedoria indiana –, o reiki, os florais e a cromoterapia trabalham diretamente com as emoções e podem apresentar melhorias nos sintomas do problema. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave