Duas adolescentes internadas após vacina contra HPV deixam hospital

Após a vacinação, alegaram dores e dormência nas pernas e braços e foram levadas a um pronto-socorro da cidade

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Duas das três meninas internadas desde a semana passada em Santos, no litoral paulista, após terem sido vacinadas em Bertioga contra o vírus HPV (papilomavírus humano) receberam alta na tarde desta quarta-feira (10).

Mariana Vitória Freitas da Costa, de 13 anos, e Luana Raiane Barros da Silva, de 12, foram liberadas para voltar para casa. Nathália dos Santos Barbosa, de 13 anos, continua internada em observação no Hospital Guilherme Álvaro, em Santos. Segundo sua mãe, a costureira Darci dos Santos, a adolescente ainda sente dores de cabeça e nas costas.

Todas são alunas da escola estadual Willian Aureli, em Bertioga (a 103 km de São Paulo), e foram vacinadas no próprio colégio na tarde de quarta-feira (3). Após a vacinação, alegaram dores e dormência nas pernas e braços e foram levadas a um pronto-socorro da cidade. Como os sintomas persistiram nos dias seguintes, foram transferidas para o hospital em Santos.

De acordo com a doméstica Rosália Alves Barros, mãe de Luana, o hospital não soube dar um diagnóstico do que ocorreu com as meninas, mas informou às famílias que as dores não tiveram relação com a vacina.

Na segunda-feira (8), o Ministério da Saúde afirmou que uma síndrome de estresse pós-injeção é a hipótese mais provável para o caso das garotas. A vacina, administrada a garotas de 11 a 13 anos de idade, protege contra lesões do colo de útero que podem se desenvolver e virar câncer.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave