Em operação polícia descobre que suspeito guardava cabeça na geladeira

Operação Colheita Maldita tinha o objetivo de prender três suspeitos de homicídios e tráfico na região e acabou chegando até o fato macabro

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Durante uma operação deflagrada na madrugada desta quarta-feira (10), a Polícia Civil (PC) prendeu três jovens e apreendeu um adolescente de 16 anos suspeitos de assassinar um desafeto na região do Barreiro, em Belo Horizonte, em maio deste ano. Após a prisão deles a corporação acabou descobrindo um lado mais macabro de um dos envolvidos, que matou um suposto estuprador em julho e guardou a cabeça na geladeira de sua casa como troféu até a última segunda-feira (8).

Segundo as informações do delegado Antônio Harley, da Delegacia de Homicídios da região, a operação Colheita Maldita teve início por volta das 4h no aglomerado conhecido como Vila Horta.  Três jovens, dois de 19 e um de 20 anos foram presos e o adolescente apreendido durante o cumprimento de mandados de prisão pelo homicídio de Samuel Andrade Félix, de 20 anos, ocorrido no dia 17 de maio deste ano.

"A nossa investigação concluiu que foi um crime motivado por vingança, uma vez que eles acreditavam que a vítima matou um comparsa deles em 2009 e teria tentado matar outro em 2014", explicou o policial. O jovem foi morto em uma esquina da vila com sete tiros na cabeça e, uma semana depois, a casa de familiares da vítima foi alvo de disparos como forma de intimidação.

Durante a operação os policiais apreenderam porções de crack e acabaram conseguindo a confissão de um dos rapazes sobre um dos outros dois homicídios de que são suspeitos. "Essa vítima teria estuprado uma pessoa e foi encontrada morta com os braços e cabeças cortados no bairro Solar do Barreiro, no dia 11 de julho, apesar do crime provavelmente ter sido cometido uma semana antes. A cabeça dele nunca havia sido encontrada", lembrou o delegado Harley. 

Durante a operação, o jovem acabou confessando o envolvimento na morte desse homem e que levou a cabeça para casa e colocou dentro da geladeira para conservar. "Nesta segunda-feira (8), por conta do mal cheiro que estava se alastrando, o suspeito acabou optando por enterrar o crânio. Ele disse que os vermes comeriam a carne e ele guardaria o crânio para ele", disse.

Os três detidos foram levados para o Centro de Remanejamento Prisional (Ceresp) da Gameleira e o menor de 17 anos foi encaminhado para o Centro Integrado de Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA-BH).

Leia tudo sobre: CABEÇANA GELADEIRAVILA HORABARREIROTRIOPRESOSOPERAÇÃOCOLHEITA MALDITAPOLÍCIA CIVIL