Universitária usa colchão para protestar contra seu estuprador

A estudante foi violentada dentro de seu próprio dormitório, na universidade; ela disse que irá carregar o colchão onde aconteceu o crime até que o suspeito seja expulso do campus

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A artista poderia ter guardado quieta a agressão e se calar diante da violência, mas decidiu realizar o protesto para que crimes como este não fiquem impunes
Reprodução/Youtube
A artista poderia ter guardado quieta a agressão e se calar diante da violência, mas decidiu realizar o protesto para que crimes como este não fiquem impunes

A artista Emma Sulkowicz, de 23 anos, foi estuprada dentro de seu dormitório na Universidade de Columbia, em, Nova York, nos Estados Unidos. Na época, ela registrou queixa na instituição que não aceitou a denúncia, justificando que era impossível afirmar que o estupro havia acontecido, inocentando o suspeito.

Para protestar e exigir Justiça, Emma decidiu que irá carregar o colchão onde o crime aconteceu até que o rapaz seja expulso da universidade, mesmo que seja durante toda sua graduação. O ato comovente virou tema do seu projeto final de bacharelado em Artes Visuais, intitulado "Carry That Weight" ("Carregue Este Peso", em português).

A proposta da artista é dar visibilidade à causa, encarando sua intimidade. “Eu perdi amigos porque algumas pessoas simplesmente não entendem o que significa ser estuprada”, afirmou.

Emma não foi a única vítima do suspeito, ela e mais duas estudantes foram violentadas pelo mesmo homem que foi inocentado em audiência realizada pela instituição.

A artista poderia ter guardado quieta a agressão e se calar diante da violência, mas decidiu realizar o protesto para que crimes como este não fiquem impunes. 

Leia tudo sobre: CrimearteestuprouniversidadecolumbiaNova YorkEstados UnidosEstudanteviolência