Marina Silva: fenômeno nacional, mas apartidário

Liderança nas pesquisas presidenciais não reflete nas disputas estaduais; Tarcísio Delgado aparece com 2,6% dos votos

iG Minas Gerais | DANIEL POLCARO |

Líder nas pesquisas eleitorais após assumir a cabeça de chapa ocupada por Eduardo Campos, a ex-senadora Marina Silva se transformou em um fenômeno eleitoral em todos o país, mas não é capaz de transferir essa visibilidade para os candidatos do PSB aos governos estaduais.

A situação em Minas Gerais é uma das mais complicadas. A candidatura de Tarcísio Delgado, ex-prefeito de Juiz de Fora, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), não decolou. Na pesquisa DataTempo/CP2, realizada entre 21 e 25 de agosto, Delgado apareceu com 2,6% das intenções de voto, enquanto Fernando Pimentel (PT) somava 33,9% e Pimenta da Veiga (PSDB) 21%.

Apenas os candidatos pelo PSB ao governo de Roraima, Chico Rodrigues, e de Pernambuco, Paulo Câmara, disputam a liderança com concorrentes de outros partidos nas últimas pesquisas. Nas eleições de 2010, o partido venceu em seis estados: Amapá, Ceará, Espírito Santo, Paraíba, Pernambuco e Paraíba.

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) lidera em 9 Estados. O Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), cada um, estão com cinco nomes à frente das pesquisas.

COM AGÊNCIAS

Leia tudo sobre: eleiçõestarcísio delgadomarina silva