A voz Celeste

iG Minas Gerais |

Saudações celestes, nação azul. Agora é oficial, está aberta a temporada de caça à Raposa. Vamos lembrar da entrada no mínimo imprudente de Emerson Sheik no volante Henrique ou da voadora de Cícero em Samudio? Dois lances passíveis de cartões vermelhos. As arbitragens realmente me desanimam. Pelo menos Marcelo Moreno foi julgado e absolvido no STJD por uma jogada casual com Bruno Uvini, do Santos, e assim não nos desfalcará. Mas vamos falar de coisa boa. Amanhã a nação tem que lotar a Toca 3, o Mineirão, nossa casa, tomada de posse por “uso campeão”. Nosso estádio, recentemente, fez 49 anos, e nós cruzeirenses temos orgulho de nunca ter feito o Gigante da Pampulha receber jogos de segunda divisão. Teremos que improvisar na lateral esquerda, entretanto, boto fé na vitória do maior de Minas. Facebook: Hugão, o Fanático Celeste.

Avacoelhada

Embora a Série B esteja na segunda rodada do returno, alguns contratados para reforçar a equipe ainda não mostraram condições de disputar a titularidade. Entre os que não foram relacionados para enfrentar o Ceará estão Igor Rayan, César Lucena, Fábio Caballero, Magrão, Doriva, Henrique e Diney. Durante a competição, Igor Rayan e Caballero deixaram de ser aproveitados entre os reservas. Lucena e Magrão jogaram poucos minutos. Doriva entrou bem contra a Ponte Preta, mas deixou a desejar quando começou jogando contra o Vasco. Lucena, Magrão e Doriva são jogadores caros para simplesmente compor o grupo. Henrique sofreu lesão antes da Copa do Mundo e Diney, no final do turno. Ambos perderam oportunidades de serem escalados mais vezes no time titular. As seguidas contusões de Elsinho, Renato Santos e Tchô também são preocupantes.

A voz da Massa

Saudações alvinegras! Se a improdutividade de Jô em campo era porque ele não tinha um concorrente – porque, vamos combinar, o André não faz sombra para ninguém –, parece que agora o grandalhão encontrou alguém: o jovem Carlos, que vem chegando da base do Galo e pode dar uma balançada nele. Diferente de Jô, que fica paradão, Carlos se movimenta por todo o ataque, hora pela esquerda, hora pela direita, volta para ajudar na defesa, puxa contra-ataque em velocidade e ainda tem boa presença de área. Os dois atacantes têm características totalmente diferentes, mas talvez dê para armar um esquema de jogo sem um centroavante fixo. Você, meu leitor, pode até pensar que ainda é cedo para dar esse moral todo para Carlos, mas ele já provou que pode ter espaço. E se estivermos diante de um novo Bernard? Só saberemos se o moleque tiver oportunidade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave