Organizando as finanças

iG Minas Gerais |

“Meu nome é V.C.R., sou fisioterapeuta e sempre tive dificuldade em juntar dinheiro. Uma das minhas dificuldades se dava devido ao fato de cada paciente me pagar em uma data diferente. Com isso, não tinha controle e acabava gastando tudo sem saber exatamente com o que, e como consequência não conseguia juntar nada. Até que um dia, assistindo uma reportagem sobre finanças, apareceu um casal que dizia separar e guardar o dinheiro em envelopes. Foi aí que tive a ideia de começar a dividir o meu dinheiro, para ver se assim eu teria um controle melhor. Fiz um envelope para cada despesa que tenho, desde balada, INSS, gastos extras, até mesmo academia, e todo dinheiro que eu recebo divido um pouquinho em cada envelope. Divido da seguinte forma: nos envelopes que representam os maiores gastos, coloco um pouco mais, os que representam os gastos menores, coloco um pouco menos. Vou dar um exemplo. Quando recebo R$ 150 de um aluno, faço a seguinte divisão: R$ 30 no envelope para o carro, R$ 50 no envelope do aluguel da clínica onde trabalho, R$ 10 no envelope para viagens, R$ 25 no envelope dos gastos extras, R$ 10 no envelope de um consórcio de amigos que participo, R$ 10 no envelope da contribuição para o INSS e R$ 5 em cada um dos últimos três envelopes (um para baladas, outro para academia e o último para uma reserva). E assim venho fazendo há um bom tempo. Com isso, já consegui juntar dinheiro para comprar meu carro. Em dois anos e meio, consegui juntar R$ 27 mil. Além disso, já fiz uma reforma na minha casa e pude fazer algumas viagens. Por isso digo que vale a pena tentar. No começo não é muito fácil, tem que ter muita disciplina, mas, com o tempo, consegue-se perceber a diferença. Fica muito mais fácil controlar nossas finanças, juntar dinheiro e realizar nossos sonhos” A história dessa leitora pode ajudar aquelas pessoas que não conseguem organizar a sua vida financeira. De uma forma simples, ela conseguiu controlar o seu orçamento. Pode então exercitar hábitos saudáveis como economizar dinheiro para realizar os mais diversos sonhos. E somente precisou de muita disciplina e alguns envelopes. Essa história me lembrou de algo que aprendi com minha avó. Ela administrava as despesas de sua casa com uma caixa e vários envelopes. Ao receber do meu avô o dinheiro para o mês, dividia o valor em diversos envelopes. Cada envelope tinha um destino específico: um era o dinheiro para as despesas com supermercado, um para o açougue, um para a empregada, um para a energia, um para a padaria e diversos outros. Assim ela conseguia administrar o dinheiro ao longo do mês. Se um envelope estivesse ficando vazio, era hora de pisar no freio naquela despesa. Se em algum houvesse uma sobra, ela podia utilizar o valor para outra finalidade e até para mesmo aumentar suas economias (poupança). Cada envelope era decorado conforme a despesa que iria garantir. Neste mês, continuo com a promoção do livro “Meu Dinheiro”, buscando que mais pessoas possam adquiri-lo. Os leitores interessados podem me enviar um e-mail que retorno com as indicações de como proceder. No livro, são discutidos temas importantes sobre finanças pessoais de uma forma que ajude os leitores a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave