Sem definição, Brasil mostra confiança para Copa Davis

Motivação dos tenistas vem das condições do Ginásio do Ibirapuera e dos prováveis desfalques da Espanha, oponente brasileiro na disputa dos playoffs do torneio

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Capitão João Zwetsch tem até o dia 25 de março para fazer a convocação
CBT - DIVULGAÇÃO
Capitão João Zwetsch tem até o dia 25 de março para fazer a convocação

Mesmo sem a escalação definida para os jogos de simples, a equipe brasileira está confiante para o duelo com a Espanha, pelos playoffs da Copa Davis, no fim de semana, em São Paulo. Os tenistas da casa apostam nos desfalques do rival e na boa adaptação à quadra de saibro do Ginásio do Ibirapuera, escolhida a dedo por eles para sediar o confronto, para superar o tradicional adversário.

"Escolhemos aqui por causa das condições da cidade. A quadra está melhorando, está ficando do jeito que a equipe gosta", afirmou Bruno Soares, que assim como o parceiro de duplas, Marcelo Melo, estava jogando na quadra rápida do US Open até o fim de semana passado. "Estamos acostumados a fazer esta transição da quadra dura para o saibro. Não teremos problemas com isso", garantiu Melo, nesta terça-feira.

As seguidas baixas na equipe da Espanha também motivam os brasileiros. Rafael Nadal, número dois do mundo, e David Ferrer, 5.º do ranking, estão fora por questões físicas. Tommy Robredo alegou cansaço para não vir ao Brasil. E, no fim de semana, Marcel Granollers sentiu dores no punho. Assim, a equipe espanhola deve ter Roberto Bautista Agut, 15.º do ranking, e Pablo Andujar, 44.º, nos jogos de simples.

"Sem dúvida, com a Espanha com uma equipe diferente, temos uma motivação maior. E o confronto se torna bastante ganhável", admitiu Soares. A avaliação é compartilhada por todos os tenistas e por João Zwetsch.

O capitão do Brasil vê seu time preparado para possíveis variações na equipe espanhola, principalmente nas duplas. "As coisas estão encaminhando para jogar o Bautista Agut e o Andujar em simples. A dupla ainda é uma interrogação. Quando há várias opções de mudanças, temos que estar preparados para todas as possíveis variações", disse, confiante nas chances de sua equipe.

O mistério também ronda o time brasileiro. Zwetsch ainda não definiu quem será o segundo jogador de simples, depois de Thomaz Bellucci, o número 1º do Brasil. Rogério Dutra Silva e Guilherme Clezar disputam a vaga. "A definição sairá hoje à noite, no máximo até amanhã [quarta]", revelou o capitão.

A escalação do segundo jogador de simples foi motivo de polêmica nos últimos dias. Zwetsch convocou Dutra Silva e Clezar em detrimento de João Souza, o Feijão, que vive bom momento no circuito e tem melhor ranking que os dois compatriotas. Feijão ocupa atualmente a 103.ª posição na lista da ATP, enquanto Dutra Silva é o 201.º. Clezar figura em 189.º e virou o principal alvo da polêmica porque é treinado pelo capitão do Brasil na Davis - na semana passada, Feijão venceu Clezar nas quartas de final do Challenger de Medellin, na Colômbia.

Insatisfeito, Feijão disparou contra Zwetsch em um comunicado oficial. Ele reclamou da ausência na lista de convocados e chegou a questionar a autoridade do capitão, por ter chamado um jogador que é seu pupilo. Nesta terça, na entrevista coletiva em preparação para o duelo do próximo fim de semana, Dutra Silva e Clezar se recusaram a comentar a polêmica criada na convocação da equipe.

Leia tudo sobre: copa davisthomaz belluccijoao zwetschbruno soares