Gases de efeito estufa batem recorde em 30 anos

O informe, segundo especialistas, alerta que as políticas ambientais adotadas até agora não estão dando resultados e exige a fixação de metas ambiciosas; os dados são de um levantamento da Organização Meteorológica Mundial

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A concentração de gases de efeito estufa na atmosfera jamais foi tão elevada e sua expansão registra o maior salto em 30 anos. Nunca em 300 milhões de anos os oceanos apresentaram uma taxa de acidez como a de 2013. Os dados são de um levantamento que a Organização Meteorológica Mundial (OMM) publica nesta terça-feira, 9, em Genebra. O texto revela que a taxa de dióxido de carbono (CO2) bateu todos os recordes em 2013.

O informe, segundo especialistas, alerta que as políticas ambientais adotadas até agora não estão dando resultados e exige a fixação de metas ambiciosas. "Entre 1990 e 2013, houve um aumento de 34% nas forças radioativas, que representam o efeito de aquecimento em nosso clima", apontou o estudo. Os gases avaliados foram o CO2, metano e N2O.

Para 2013, a taxa de concentração de CO2 ficou 142% acima da era pré-industrial, no ano de 1750. Já a concentração de metano aumentou 253%. A maior preocupação, porém, é o crescimento de CO2 entre 2012 e 2013 - a maior taxa desde 1984. "Dados preliminares indicam que isso foi possivelmente relacionado ao fato de que a biosfera absorveu menos CO2, enquanto as emissões do gás continuaram a aumentar", diz o texto.

A concentração de gases é o que fica na atmosfera depois de um complexo sistema de interações entre a biosfera, os oceanos e a atmosfera. Um quarto do total das emissões é absorvida pelos oceanos, mesma proporção que vai para a biosfera.

"No lugar de cair, a concentração de CO2 está de fato aumentando e no ritmo mais elevado em 30 anos", disse o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud. "O tempo está se esgotando e sabemos sem qualquer sombra de dúvidas que nosso clima está mudando por causa das atividades humanas", afirmou. Pela primeira vez, o volume de CO2 chegou a 396 partes por milhão em 2013 - em um ano aumento de 2,9 partes por milhão.

Acidez

O informe também apontou que, diante das emissões, os oceanos estariam apresentando sua maior taxa de acidez. Por dia, os oceanos estariam absorvendo cerca de 4 quilos de CO2 por pessoa. A acidez dos oceanos deve se acelerar, o que vai gerar consequências para corais, algas e moluscos. Outro impacto da acidez é a redução da biodiversidade.

Leia tudo sobre: PoluiçãoArOMMestudoGasesefeito estufaCO2alerta